Convivendo com crianças não veganas

Quando tiveres de lidar com os amigos não veganos do teu filho, vale a pena tomares nota do tipo de alimentos que eles esperam encontrar nas festas, lanches, etc. É provável que esses alimentos sejam ligeiramente diferentes dos que seriam servidos a outras crianças veganas, habituadas a dietas à base de alimentos integrais, sem açúcar, etc. As crianças são notavelmente pouco diplomatas ao expressarem o seu desagrado pela comida, e pode tornar-se bastante desagradável e confuso para os pequenos veganos verem a "sua" comida rejeitada - especialmente em festas de aniversário ou outras reuniões especiais de amigos e amigas.

Se as crianças estiverem à espera de comidas mais convencionais, o melhor é adaptares-te às suas expectativas. Desta forma, o mais provável é que acabem por achar a comida vegana "normal" e fiquem mais predispostas a provar estes alimentos noutras ocasiões. Por exemplo, evita o pão integral, se as crianças estiverem habituadas a comer pão branco, e evita bolos feitos com farinha integral se as crianças não estiverem habituadas a esse tipo. Não uses farinha de alfarroba nos bolos se os miúdos nunca tiverem provado isso antes, pois o que se espera é chocolate e a decepção é enorme.
Já existem algumas guloseimas veganas no mercado, como gelados, salsichas, patês, que irão conquistar qualquer criança não vegana. Outras coisas que podes por à sua disposição em festas e lanches: vegetais frescos, como "paus" de cenoura e de aipo e rodelas de tomate, batatas fritas, amendoins e sumos de fruta. Para finalizar, o bolo de chocolate vegano - que é bastante fácil de fazer e é um clássico em qualquer festa. Se as crianças já não tiverem espaço na barriga para o bolo, corta-o e deixa-as levar umas fatias para casa.



E quando chegar a altura de ir para a escola?
No início do ano lectivo, seja na escola primária, em creches ou infantários, deves informar-te sobre as refeições que são servidas. Se possível visita a cozinha, fala com os cozinheiros, pergunta sobre o que costumam usar nas sopas (muitas vezes é usada gordura animal), etc. Pede os menus semanais antecipadamente, para poderes estudá-los e elaborar menus alternativos. Por exemplo, nalguns dias a criança pode comer a sopa e a fruta, só tens de arranjar um prato principal semelhante ao que irá ser servido. Tenta, sempre que possível, aproximar as refeições da teu filho às das outras crianças, para que não se sinta discriminada. Quando houver festas ou lanches especiais toma a iniciativa e envia bolos ou outras guloseimas veganas para as crianças comerem.
Se é difícil para os adultos aguentarem muitas vezes as críticas constantes de familiares e amigos, imagina as crianças - elas são muito mais sensíveis às críticas e à pressão. Elas só querem ser iguais às outras e não terem de defender constantemente o seu tipo de alimentação e estilo de vida.
Para além da hora das refeições, o veganismo irá passar despercebido no jardim de infância ou escola primária. No entanto, é sensato preparar os pequenos com informação clara e simples sobre o veganismo, para que se possam defender de comentários. Os direitos dos animais e o vegetarianismo são já muito conhecidos e aceites, e a tendência é tornarem-se cada vez mais temas comuns. Desde que as mães e os pais dêem o máximo de apoio, informação e conselhos sobre este assunto, como fariam com qualquer outro, os seus filhos irão construir bases sólidas para o futuro.
As crianças merecem que a informação lhes seja apresentada, tendo em conta a sua idade, a sua sensibilidade e nível de compreensão. Respostas honestas e directas darão frutos mais tarde. Os que não obtiverem um misto de meias verdades e desinformação deliberada não terão dificuldades em fazer a relação entre animais vivos e a comida nos seus pratos.


Referências:
http://www.vegansociety.com/html/info/info26.html

Copyright Centro Vegetariano. Reprodução permitida desde que indicando o endereço: http://www.centrovegetariano.org/Article-115-Convivendo-com-crian-as-n-o-veganas.html

Inserido em: 2002.07.18 Última actualização: 1999.11.29

Comentar printer     E-mail   Facebook F

Alimentação > Alimentação Infantil
Pessoas > Artigos por Autor > Cristina Rodrigues