Contraceptivos veganos

Quem quiser seguir à risca uma filosofia vegana precisa de vigiar mesmo os métodos contraceptivos que usa. Os contraceptivos podem ser testados em animais, ou conter ingredientes de origem animal. Os métodos que, ao que tudo indica, são totalmente veganos, são os preservativos femininos, os espermicidas, os diafragmas, os DIU`s e o planeamento familiar. Os métodos de contracepção mais utilizados pela população, tais como o preservativo e a pílula, só excepcionalmente apresentam marcas veganas.
Convém estar atento à lista de ingredientes dos produtos e informado quanto à realização de testes em animais. Deve ter-se em conta que algumas marcas já não testam os seus produtos em animais, mas testaram-nos na fase inicial do lançamento do produto para o mercado.

 


Preservativos


Os preservativos são geralmente feitos de látex. Contudo, embora não esteja presente no produto final, quase todas as marcas de preservativos, nomeadamente Durex e Mates, utilizam caseína (proteína de leite) durante o processo de fabrico.
Os preservativos da Condomi ( http://www.condomi.com ) e da Glyde ( http://glyde-condoms.com )são provavelmente as únicas marca veganas. A Glyde é mesmo aprovada com o selo da Vegan Society. Estes não contêm produtos derivados de animal nem envolvem testes em animais.

Onde encontrar:
* Loja Centro Vegetariano - http://www.centrovegetariano.org/loja



Preservativos femininos


São também de látex, e ao que tudo indica os preservativos femininos da marca Femidom são veganos. Os fabricantes garantem que não utilizam "rotineiramente" testes em animais nos seus procedimentos de Controlo de Qualidade. A empresa não fabrica o lubrificante em si mesmo, mas naquilo que estão conscientes, o fabricante não testa "rotineiramente" o lubrificante em animais. A bainha de poliuretano consiste inteiramente em materiais de polimérico sintético, portanto são isentos de animais. O lubrificante é feito a partir de fluído de silicone sintético, pelo que não contém igualmente quaisquer ingredientes animais.


Pílulas


Praticamente todas as pílulas contraceptivas contêm lactose (açúcar do leite) e/ou estearato de magnésio (muitas vezes derivado de animais).
Por exemplo, marcas como Loestrin 20, Loestrin 30, Marvelon, Mercilon e Conova 30 contêm lactose e esteareato de magnésio. Brevinor, Symphase, Norimin, Norinyl - 1 e Noriday contêm lactose e estearato de magnésio de gordura animal. Por sua vez Ovran 30, Ovran, Mimulet, Tri-Nordiol, Tri-Minulet, Microval, Microgynon 30, Eugynon 30, Femodene, Logynon, Traidene, Norgeston e Neogest contêm apenas lactose. A marca Microval contém também cera de abelhas. OVysmen, Neocon 1/35, Cilest e Ortho-Novin 1/50 contêm estearato de magnésio. As pílulas da Organon também contêm lactose e/ou estearato de magnésio. Mas a Organon usa estearato de magnésio de síntese, não de origem animal.
A única pílula isenta de ingredientes de derivados de animal é a da marca Femulen, uma pílula só de progestogénio feita pela Gold Shield. No entanto, testa os seus produtos em animais.


Espermicidas


Os espermicidas estão disponíveis em creme, espuma ou comprimidos, e é suposto serem utilizados em combinação com outros métodos contraceptivos, nomeadamente o preservativo e o diafragma, de forma a reduzir ao mínimo as probabilidades de engravidar.
Geralmente não contêm qualquer ingrediente de origem animal. WJ Rendell produz Prelude Contraceptive Pessaries, que estão livres de ingredientes derivados de animais e de testes em animais.


DIUs


Os Dispositivos Intrauterinos são feitos de plástico com uma cobertura de fio de cobre ou polietileno, sendo revestidos por um produto hormonal e não contêm quaisquer ingredientes derivados de animais. Não parece haver qualquer teste animal de DIUs, embora a Pharmacia, que faz o Novaguard, tenha sido suficientemente honesta para dizer que sem examinar os seus arquivos não podia ter a certeza absoluta. A linha de Informação Médica da Organon afirma que o seu modelo, Multi-Carregado, não foi testado em animais e que o único dado publicado nos seus testes refere-se a experiências humanas.


Diafragmas


Tanto quanto se sabe os diafragmas não contêm quaisquer ingredientes animais nem foram testados em animais. É um anel de borracha flexível que se coloca na vagina e que impede os espermatozóides de fecundar o óvulo.


Implantes


Um dos últimos contraceptivos a vir para o mercado é Norplant, um implante hormonal que é cirurgicamente colocado debaixo da pele superior do braço. As cápsulas isentas de produtos de origem animal libertam uma hormona que previne a gravidez durante, no máximo, cinco anos, e pode ser removido a qualquer altura. Nos Estados Unidos, durante o desenvolvimento de Norplant o implante foi testado em animais. Como tal não é considerado um contraceptivo 100% vegano.


Contraceptivos Hormonais


Contraceptivos orais, injectáveis e de implante são classificados como medicamentos e por isso têm de passar os padrões de segurança, qualidade e eficácia que envolve a pesquisa animal. A indústria farmacêutica informa que assim que um medicamento é autorizado, continua a ser rigorosamente monitorizado no uso em pacientes e não são necessários mais testes em animais. Contudo, sociedades de anti-vivissecção reclamam que continuam a ser realizados testes adicionais em animais em produtos reformulados.


Injecções Contraceptivas


Depo-Provera, feita pela UpJohn, oferece protecção contraceptiva até ao máximo de 12 semanas. Não contém quaisquer ingredientes derivados de animal, no entanto foi testado neles. Os testes consistiram em injectar macacos com o produto: aqueles que receberam 50 vezes a dose contraceptiva humana desenvolveram tumores endométricos.
Por seu lado, Noristerat, produzido pela Schering, evita a gravidez durante 8 semanas e não contém ingredientes animais, mas foi testado em ratos, macacos e galgos.


Planeamento Familiar Natural


Este tipo de contracepção é completamente vegana, mas requer um grande empenhamento diário por parte da mulher. A ideia por trás do planeamento familiar natural é para resultar quando a mulher está fértil, evitando ter relações sexuais durante essa fase do mês. Mais informações podem ser obtidas nos centros de saúde em consultas de planeamento familiar.


Nova Contracepção


O Persona da Unipath, que chegou ao mercado em 1996, monitoriza os níveis hormonais através do teste à urina. Não usou quaisquer testes em animais, contudo, a tecnologia do teste à urina é baseada numa técnica padrão imunoassória, que utiliza anti-corpos monoclonais a partir de linhas celulares originalmente derivadas de ratos. Estas linhas celulares são agora cultivadas in vitro (tubo de teste). Os tubos de teste da urina contêm pequenas quantidades de uma proteína bovina.



Copyright Centro Vegetariano. Reprodução permitida desde que indicando o endereço: http://www.centrovegetariano.org/Article-237-Contraceptivos-veganos.html

Inserido em: 2003.09.28 Última actualização: 2010.01.20

Comentar printer     E-mail   Facebook F

Pessoas > Artigos por Autor > Pedro Santos
Saúde > Sexualidade
Pessoas > Artigos por Autor > Cristina Rodrigues
Consumidor Vegetariano > Produtos veganos



Comentários



Contraceptivo adesivo , existe algum vegano?

Olá , vendo a matéria de vocês sobre os contraceptivos veganos , vi que colocaram vários tipos de contraceptivos menos os adesivos . Pesquisei muito na internet mas não acho nada que diga se eles são ou não veganos. Mandei um email para a empresa q fabrica o único adesivo contraceptivo q o Brasil apresenta , a EVRA , mas ainda n me responderam . Poderiam me ajudar a sanar esta dúvida? Obrigada pela atenção e o espaço . Giselle Quintiliano
(Por: Giselle)

[Por: @ 2013.11.03 - 12:18 | Responder | Imprimir ]


Preservativo no Brasil

Entrei em contato com a INAL, indústria que fabrica a marca OLLA de preservativos masculinos, e consegui a seguinte resposta:

----- Original Message -----
From: Gissele G. R. F. Alves
To: Renata Octaviani
Sent: Tuesday, October 16, 2007 3:00 PM
Subject: Atendimento ao Cliente - CE-P/Email: 245/07

Prezada Renata:

Agradecemos seu retorno, e informamos que atualmente não utilizamos a caseína em nossa formulação.

Cordialmente,

José Gonçalves Araújo
Diretor Comercial

Gissele G. R. F. Alves
CRQ: 041 247 85

----- Original Message -----
From: Renata Octaviani
To: Gissele G. R. F. Alves
Sent: Thursday, October 11, 2007 4:06 PM
Subject: Re: Atendimento ao Cliente - CE-P/Email: 244/07

Gisele, obrigada.

Apenas confirmando:
Portanto o látex de borracha natural, adquirido por vocês, não é elaborado com o uso de caseína em nenhuma etapa?

Obrigada

Renata

----- Original Message -----
From: Gissele G. R. F. Alves
To: Renata Octaviani
Sent: Thursday, October 11, 2007 2:00 PM
Subject: Atendimento ao Cliente - CE-P/Email: 244/07

Prezada Renata:

Agradecemos seu contato, pois ele é muito importante para que nossa empresa atinja o objetivo de alcançar a Satisfação do Cliente.

Informamos que a INAL utiliza como matéria prima básica para a fabricação dos preservativos, o látex de borracha natural, normalmente centrifugado, e para adquirir boas propriedades mecânicas (elasticidade), o látex de borracha natural, comercial concentrado a 60% é vulcanizado com enxofre com a aplicação controlada de calor e agitação.

Cordialmente,

José Gonçalves Araújo
Diretor Comercial

Gissele G. R. F. Alves
CRQ: 041 247 85
(Por: Renata)

[Por: @ 2007.10.17 - 17:06 | Responder | Imprimir ]