Testemunho de Hugo Rebelo: Vegetarianismo, simbiose da alma com o corpo

Hugo Rebelo, informático e vocalista da banda Simbiose, decidiu contar ao Centro Vegetariano o porquê da sua opção alimentar...

Hugo Rebelo:

Sou vegetariano há 11 anos, tenho 31, portanto comecei aos 20. Sou de Sacavém formado em informática.
Hoje em dia, a minha ideia de seguir uma dieta vegetariana é a a mesma de há 11 anos atrás. Ou seja optar pelo vegetarianismo por compaixão pelos seres vivos e boicote à indústria de produção de carne e de peixe.
Inicialmente deixei de comer carne, durante um ano alimentava-me basicamente de peixe e legumes (isto há 12 anos). Processo de adaptação moroso, mas simples. Se bem que foi por opção pessoal. Num mês, qualquer pessoa poderá fazer esta transição sem riscos para a saúde.
Tudo começou por influência do mundo da música onde me encontro envolvido, onde assuntos como experimentação animal, direitos dos animais ou vegetarianismo são amplamente abordados e importantes como mensagem pessoal a transmitir através da música para um vasto e jovem público. Imagens, textos e letras das músicas foram o principal meio que influenciou as minhas ideias e formas de agir. Aos poucos cresceu essa convicção de que ser carnívoro, devorador de animais, portador de um cemitério animal era uma rejeição espiritual e, consequentemente, uma rejeição física à qual cada vez menos me identificava.
Ser vegetariano (vegeta, como gosto de me intitular) obrigou-me a tomar uma atitude diária radical. Fazer pratos vegetarianos, confeccionar comida vegetariana. Efectivamente o fantasma de achar que ia ser difícil rapidamente dissipou-se quando comprei um livro de receitas vegetarianas.
Inicialmente comecei a seguir à risca as quantidades e os métodos descritos no livro. Mas rapidamente nos adaptamos a uma forma de cozinhar tão simples, intuitiva e higiénica, uma vez que não temos constantemente gorduras (das carnes) nas mãos.
Na altura não havia quase nenhuma oferta de produtos alternativos, tais como as salschichas, empadas, hambúrgueres e toda essa gama de alimentos. Mas a verdade é que isso não é nada relevante. Nem há 11 anos atrás nem hoje em dia. Basicamente o essencial é termos a preocupação básica de rodar todo o tipo de legumes, frutas, frutos secos, cereais, etc. Estes encontram-se em qualquer supermercado, logo a partir daqui qualquer um conseguirá a sua base alimentar vegetariana. O que se pode acrescentar é o tofu e o seitan nas nossas refeições, sendo que, na minha opinião, o tofu é elementar e imprescindível, estando presente em 90% dos meus cozinhados.
Portanto sem grandes luxos nas compras de supermercado, verifica-se que ser-se "vegeta" sai muito mais económico às nossas carteiras.
E o que são os luxos? Salsichas, hambúrgueres, chouriços, etc. Esse tipo de produtos que as lojas ditas alternativas teimam em "explorar" junto de quem está preocupado com a sua saúde ou com a vida dos animais.
Gostava de salientar que após de uns 4/5 anos a seguir o vegetarianismo de forma incondicional, sem ceder às fraquezas da gula, senti uma alteração (entenda-se elevação) no meu corpo e na minha mente. Alteração essa que é uma consciência psíquica sobre as carências de nutrientes no corpo. Por exemplo quem ainda não sentiu aquela sensação psicológica de uma necessidade enorme de comer um chocolate? Neste caso o corpo a pedir à mente algo energético, açúcar de assimilação rápida.
A verdade é que ao fim de alguns anos um/a vegetariano/a consegue desenvolver consciente e subconscientemente estes avisos que o corpo envia à mente e de uma forma muito mais requintada. Saber que o corpo está com as reservas de ferro ou de cálcio em baixo e que tem de repor os níveis normais é a prova de que uma alimentação vegetariana não só beneficia o corpo como eleva a sensibilidade da mente/alma.
Fiquei bastante surpreendido quando comentava esta sensibilidade com outras pessoas que também eram/são vegetarianas há pelo menos mais de 6/7 anos e que também confirmavam sentirem o mesmo, sentirem esse conhecimento extra sobre si próprios.
Se realmente no nosso percurso da vida fazemos algumas decisões menos correctas, sem dúvida que optar pelo vegetarianismo é talvez das mais acertadas. Não só pelo próprio ser que tomou essa liberdade, mas porque pensa numa opção/alternativa em prol da vida dos animais e da vitalidade do planeta, uma vez que não exige, não consome e não destrói os recursos do planeta como a produção de carne e de peixe.
Neste momento já passei por alturas que ponderei tornar-me frutívoro. Para já deixei o consumo de ovos, quem sabe se num futuro não siga uma dieta vegana e então suba de patamar para manter a mais elevada, por excelência, forma de alimentar o corpo, o frutivorismo.

Simbiose

A banda Simbiose teve início em 1991, sendo que o primeiro concerto terá ocorrido em Outubro de 1993, mostrando ao mundo mais uma banda a tocar um subgénero musical do punk, "catalogado" como CRUST. Até 1995 as letras eram maioritariamente sobre os direitos de animais, ambiente e direitos humanos, evidenciando a influência que havia sobre esses assuntos dentro da cena punk/hardcore. Tendo já tocado em mais de 200 concertos, alguns deles na Holanda, Bélgica e Espanha e muitos para benefits a favor de associações dos direitos dos animais e de pessoas mais carenciadas. A banda conta com várias demo tapes, lançamentos em vinil e dois álbuns no formato de cd. Ainda de salientar que Simbiose conta com os dois vocalistas vegetarianos por convicção à luta dos direitos dos animais. Os restantes elementos, não sendo vegetarianos, são igualmente simpatizantes desta causa. Pode conhecer-se melhor esta banda em http://www.myspace.com/simbiose ou http://www.simbiose.no.sapo.pt

Copyright Centro Vegetariano. Reprodução permitida desde que indicando o endereço: http://www.centrovegetariano.org/Article-387-Testemunho-de-Hugo-Rebelo--Vegetarianismo--simbiose-da-alma-com-o-corpo.html

Inserido em: 2006.04.22 Última actualização: 2006.04.22

Comentar printer     E-mail   Facebook F

Pessoas > Testemunhos



Comentários



Bem, ao contrário de você, não sigo o vegetarianismo e nunca o farei. Já está mais do que provado que ao deixarmos de ingerir carne deixamos de ingerir aminoácidos essenciais que estão presentes apenas na carne. Optar por uma alimentação essencialmente vegetariana não é a melhor saída. Historicamente o homem passou a se desenvolver bem mais depois que começou a ingerir carne, o que também permitiu viver em sociedade.
Claro que também não aconselho que ninguém se alimente apenas de carne, mas vegetarianismo está MUITO LONGE de ser a melhor opção. Por isso, tenha a mente aberta e pesquise mais. Enquanto você nega um pedaço de carne, há pessoas que dariam qualquer coisa por ela.
(Por: Someone )

[Por: @ 2009.10.22 - 19:45 | Responder | Imprimir ]

Ninguém é obrigado a ser vegetariano e cada um é livre de fazer a alimentação que mais gosta ou acha melhor para si. Pode achar que o vegetarianismo não é a melhor opção, mas estar minimamente informado não custa muito.
Sabe indicar-me um aminoácido essencial que só exista na carne? A sua informação é completamente errada, por exemplo um simples prato de arroz integral com feijão tem todos os aminoácidos essenciais.
Por favor, indique estudos que comprovem que se não comermos carne nos faltam aminoácidos?

[Por: cris @ 2009.10.23 - 17:21 | Responder | Imprimir ]



assim é que é

gostei como abordas o tema...mostras o ser humano que és nunca desistas de ser vegetariano...a força esta dentro de ti e ja agora simbiose é das melhores bandas de portugal sem duvida alguma...espero que chegues a vegan e has-de chegar acredita que é bom... um abraço... VIVER COM CONSCIENCIA
(Por: carlos)

[Por: @ 2006.05.12 - 13:26 | Responder | Imprimir ]


É sempre bom partilhar!

Olá
Gostava de dizer que este testemunho do Hugo me fez consciencializar algo que sentia há já algum tempo. Não sei se acontece apenas com vegetarianos, mas é uma realidade que, desde que o sou, "ouço" muito melhor o que o meu organismo tem para me dizer, pedir, exigir e avisar. É com certeza um sintoma de estar mais saudável e de haver paz no meu organismo que já não luta para se livrar dos venenos de origem animal com os quais eu, inadvertidamente, o agredia.
Obrigada!

[Por: 0 @ 2006.04.27 - 19:18 | Responder | Imprimir ]