Soja e a mulher

Actualmente temos presenciado um aumento significativo de várias doenças na mulher, as quais há algumas décadas nem ouvíamos falar. No tempo de nossas avós, parece que elas não sofriam com os incômodos sintomas da menopausa, cancro de mama era algo esporádico e mulheres com problemas cardiovasculares era raríssimo. Mas o que está acontecendo para que a mulher moderna e muito mais ativa seja atingida por essas doenças?

Muitas respostas podem ser conseguidas quando observamos o próprio estilo de vida da mulher contemporânea. Muito mais exposta ao stress, que, associado às alterações hormonais a que frequentemente é submetida, se reflecte na sua saúde.
Mas a grande mudança foi na parte reprodutiva. Quantos filhos nossas avós tiveram e por quando tempo elas amamentaram esses filhos? Procura comparar esta situação antiga com a que se vive nos tempos modernos.
Num século a média de filhos caiu de 6 para 2. O tempo de amamentação, por sua vez, caiu de 2 anos para apenas 4 meses . Nas meninas a primeira menstruação está a ocorrer cada vez mais cedo, e nas mulheres a menopausa está acontecendo cada vez mais tarde. Tudo isso se reflecte num aumento no número de menstruações ao longo da vida da mulher, que era em torno de 50 e agora está em 300 a 400.
Como isto se torna prejudicial é uma resposta simples: quando a mulher não está grávida ou amamentando, está exposta ao estrogénio. Este estrogénio é uma hormona feminina, muito importante no organismo da mulher. A exposição excessiva do corpo a este químico traz, contudo, vários problemas.

O estrogénio desempenha várias funções importantes em nosso organismo. Entre elas o crescimento e desenvolvimento dos tecidos dos órgãos reprodutores e mamas, que é o responsável pelas formas corporais femininas. Igualmente, participa no controlo da temperatura corporal, impede o acumular de colesterol nas artérias e, principalmente, é o responsável pela multiplicação das células mamarias. É justamente aqui que podem ocorrer problemas, pois se a mulher está cada vez mais exposta ao estrogénio, significa que essa multiplicação celular ocorrerá de forma mais prolongada e intensa. Aumenta-se assim, por consequência, a possibilidade de ocorrer erro nesse processo, o que pode levar ao desenvolvimento de uma célula alterada e posterior surgimento do tumor. Isto justifica o aumento da incidência de cancro de mama e útero entre as mulheres.

Por outro lado, a carência do estrogénio que ocorre durante a menopausa causa sintomas extremamente incómodos à mulher, que acabam por interferir no seu dia a dia.
As ondas de calor, suores nocturnos, diminuição da lubrificação vaginal, ressecamento da pele e depressão são alguns dos muitos sintomas envolvidos com essa carência e que acabam por afectar directamente a mulher em seu convívio conjugal, familiar e social.

A osteoporose e também as doenças cardiovasculares apresentam uma maior incidência após a menopausa devido a acção do estrogénio na absorção do cálcio e na protecção do coração.

Mas o que pode ser feito para amenizar os problemas relacionados à carência do estrogénio?
Actualmente, as mulheres contam com a Terapia de Reposição Hormonal (TRH), uma grande contribuição da medicina nos últimos anos, que tem como objectivo restaurar os níveis de estrogénio. Esta terapia permite uma protecção contra as doenças cardiovasculares, osteoporose e alívio aos sintomas da menopausa. Contudo, a reposição torna a expor as mulheres novamente à acção do estrogénio.

Na prática, a maioria das mulheres não permanece na TRH por mais de três anos, devido aos efeitos colaterais como edema (inchaço), ganho de peso, alterações vasculares e hemorragias.

Há estudos mostrando que a TRH causa aumento na densidade de mama após um ou dois anos contínuos de uso, o que dificulta o diagnóstico pela mamografia. Além disso há casos onde a mulher está desaconselhada a utilizar a TRH. São elas:
- mulheres com histórico familiar de cancro;
- mulheres que apresentam nódulos;
- mulheres que já se submeteram ao tratamento de cancro de mama.
Diante disto, várias mulheres ficam sem alternativas de reposição durante a menopausa, levando-as a ter um decréscimo na qualidade de vida e um maior risco de doenças causadas pela diminuição do estrogénio. O que fazer então?

Uma Alternativa Natural
Pesquisadores observaram que entre as mulheres japonesas a taxa de mortalidade por cancro de mama é de apenas ¼ em relação à mulheres do acidente e que, consequentemente, as taxas de osteoporose e doenças cardiovasculares são as menores no mundo. Com relação aos sintomas da menopausa, elas apresentam 1/3 a menos que as ocidentais. Isto levou a uma investigação sobre os hábitos de vida dos povos orientais e a associação entre a alimentação e estes dados.

A dieta dos orientais despertou especial atenção, pois o consumo de produtos de soja é 30 a 50 vezes maior que o dos ocidentais. E este alimento apresenta uma substância com efeitos semelhantes aos do estrogénio humano.

A soja contém uma substância chamada de isoflavona, que apresenta uma estrutura química muito semelhante à do estrogénio humano. Por esse motivo é também chamada de fitoestrogénio.

As isoflavonas possuem uma acção mais suave, de 1.000 a 100.000 vezes menor que o estrogénio. Por isso, quando absorvidas pelo organismo, actuam como estrogénios fracos e funcionam como reguladoras, pois são capazes de suprir a falta de estrogénio, prevenindo os problemas relacionadas a esta carência (sintomas de menopausa, osteoporose, doenças cardiovasculares, etc.) e também reduzir o excesso dessa hormona, pois competem com ela pelos receptores (local de entrada ) nas células. Com isso inibem o crescimento celular e a proliferação de tumores induzidos pelo estrogénio humano.

A acção das isoflavonas vem sendo intensamente pesquisada na última década e todo o mecanismo de acção, bem como as quantidades indicadas e seus efeitos, têm comprovação por inúmeros trabalhos científicos, que foram e estão a ser desenvolvidos em todo o mundo. E é uma alternativa natural, sem efeitos colaterais, não apresentando nenhuma contra indicação.

A concentração de isoflavonas na soja e seus derivados pode variar muito e depende da variedade do grão, do solo, clima, local onde foi cultivada e principalmente o tipo de processamento utilizado e o modo de preparo a que foi submetida. Por exemplo: em 100g de leite de soja a quantidade de isoflavonas pode variar de 2,7 a 125 mg.

Um ponto importante que deve ser observado é a forte relação que existe entre as isoflavonas e as proteínas de soja, principalmente no que diz respeito às doenças cardiovasculares e osteoporose. Estudos mostram que os efeitos das isoflavonas são potencializados quando elas se encontram combinadas com a proteína da soja, ou seja, o resultado é melhor na forma de alimento como um todo do que na forma isolada (concentrada) , como um medicamento.

Referências:

http://www.planetanatural.com.br/detalhe.asp?cod_secao=49&idnot=569


Copyright Centro Vegetariano. Reprodução permitida desde que indicando o endereço: http://www.centrovegetariano.org/Article-4-Soja-e-a-mulher.html

Inserido em: 2002.05.09 Última actualização: 1999.11.29

Comentar printer     E-mail   Facebook F

Saúde > Saúde da Mulher
Alimentação > Alimentos > Soja



Comentários



soja - tiróide

Gostei imenso do artigo, no entanto, ouvi falar que a soja poderia ser prejudicial em mulheres com descontrolo de tiróide. Preocupa-me imenso este facto pois não como carne e consumo soja regularmente... Será correcto o que me disseram?

[Por: catmateus @ 2012.03.14 - 20:39 | Responder | Imprimir ]


alergia

Gastaria de saber se é possível que o leite de soja possa causar alergia de pele, DO TIPO VERMELHIDÃO COM COCEIRA.Pois casoalmente me apareceu este tipo de sintoma. Depois que comei a tomar o leite em pó de soja. obrigada desde já.
(Por: rosalba carvalho marques)

[Por: @ 2010.10.08 - 04:20 | Responder | Imprimir ]

Re: alergia

Existem algumas pessoas que são alérgicas à soja, pode ser o seu caso.

[Por: cris @ 2010.10.08 - 20:10 | Responder | Imprimir ]



será a soja um alimento mesmo seguro?

Muito se fala das boas propriedades da soja, mas á pouco tempo li um artigo:
http://correcotia.com/soja/soja-feldman.htm

onde é afirmado que a soja tem muitas características prejudiciais. Deixou-me muito confusa e sem saber se afinal é bom ou mau utilizar a soja (sem ser fermentada).
Alguém tem informação sobre esta questão? Desde já agradeço
(Por: Lukara)

[Por: @ 2007.10.17 - 12:19 | Responder | Imprimir ]

Re: será a soja um alimento mesmo seguro?

Recentemente surgiram muitas páginas e informações, algumas de origem duvidosa, outras contraditórias, relativamente à soja.
No entanto, eu faria as seguintes questões:

1) Quantos estudos peer-reviewed existem que apontem efeitos nefastos do consumo da soja ou derivados por parte dos seres humanos?
Praticamente todos os estudos que se encontram apontam para benefícios, não consequências negativas.

2) Quantos dos estudos citados nestes artigos anti-soja são feitos considerando a soja como um todo, e feitos com humanos?
A maior parte dos estudos citados nestes artigos são feitos em animais, e/ou estudos de componentes isolados da soja. Será que as conclusões podem ser transpostas para o consumo humano?

3) Porque é que a maioria destes estudos apresenta a soja como a pior coisa do mundo, como se o objectivo fosse apenas correr com a soja a sete pés, em vez de
apelar a uma alimentação equilibrada, eventualmente com ou sem a soja?
(Fica para pensares)

3) Porque é que grande parte destes artigos tendem a diabolizar a soja, e são escritos em tom alarmista, em vez de simplesmente informar e compararem os benefícios com os potenciais efeitos nefastos?
(Deixo para pensares)

4) Porque é que as organizações que aparecem a denunciar a soja, não denunciam outros alimentos e produtos bem mais nocivos à saúde pública e ao ambiente, a começar pela carne e pelo leite de vaca?
(Também deixo para tu pensares)

E, já agora, para que conste, ficam também algumas sugestões de leitura.

1) Análise do PCRM sobre a soja:
http://www.pcrm.org/health/prevmed/soy_health.html

2) Pesquisa no PubMed, base de dados de artigos científicos, sobre a Soja, e vê o que sai:
http://www.pubmedcentral.nih.gov

[Por: @ 2007.10.19 - 11:30 | Responder | Imprimir ]

Re: será a soja um alimento mesmo seguro?

Obrigado pelas informações. Realmente acabei de ler este artigo e quase me deixei levar pelo alarmismo do artigo, sendo que, como vegano, me alimento com muito leite de soja e tofu, porém, nenhum dos tais efeitos colaterais senti até hoje, mesmo depois de poucos anos. Além do mais, realmente acredito que seja mais um artigo anti-soja que um artigo de nutrição.
(Por: Anderson Santos)

[Por: @ 2008.03.02 - 02:17 | Responder | Imprimir ]



Re: será a soja um alimento mesmo seguro?

Muitas pessoas, incluindo vegetarianos, acreditam que a soja é um alimento prejudicial. O que essas pessoas não sabem é que estas noticias alarmistas foram criadas pela indústria da carne e do leite que está desesperada por perder clientes. Estas alegações acerca da soja surgiram num artigo que aconselha uma dieta com todos os tipos de carne em grande quantidade e que defende que necessitamos de comer produtos lácteos e bife para termos os nutrientes necessários (os autores deste artigo lamentam que a soja esteja a substituir a proteína animal). No mesmo artigo, os autores argumentam que é preferível alimentar uma criança com leite de vaca do que com leite de uma mãe vegetariana! A maioria dos opositores da soja é apologista do consumo de carne. Por exemplo, um certo osteopata que escreveu artigos contra a soja, aconselhou no entanto o consumo de bife, galinha, peru e outros tipos de carne. Para além disso, essas alegações baseiam-se em casos isolados ignorando uma enorme quantidade de estudos em humanos que provam precisamente o contrario. Mas há mais. A maioria das alegações contra a soja derivam de estudos feitos em animais, que, como se sabe, possuem organismos diferentes e reagem de maneira diferente aos alimentos. Nesses estudos certos animais foram alimentados exclusivamente com grandes quantidades de soja. Se acreditamos nas alegações acerca dos supostos malefícios da soja, então devemos também ter em conta as outras alegações provenientes desse mesmo artigo (o desaconselhamento de qualquer tipo de dieta vegetariana) e devemos igualmente passar a ter em consideração os ineficientes testes feitos em animais. Infelizmente, os argumentos apresentados neste artigo foram rapidamente divulgados em artigos similares, sem mais pesquisas adicionais, conseguindo mesmo aterrorizar muitos vegetarianos que, para felicidade dos lobbistas da carne e do leite, se esforçaram por divulgar artigos anti-soja entre os amigos. As pessoas têm uma certa relutância em substituir o leite de vaca com que cozinham ou que tomam ao pequeno-almoço por um substituto de soja e com estas notícias, muita gente acaba por não fazer qualquer alteração a esse nível. Pessoalmente, conheço muitas pessoas que trocaram o leite de vaca pelo de soja e que se sentem muito melhor assim. Algumas contaram-me que, quando, na falta de uma bebida de soja, consumiram leite de vaca novamente, se sentiram extremamente mal. A indústria da carne sabe que muita gente substitui a carne pela soja e esse artigo foi sem dúvida uma reacção a esse facto. A soja é um alimento bastante completo, possuindo uma quantidade elevada de proteínas(incluindo os aminoácidos essenciais), é pobre em gorduras e possui diversos benefícios. É claro que ninguém deve alimentar-se exclusivamente de soja (nem de qualquer outro alimento). Uma dieta, seja vegetariana ou não, deve ser equilibrada e variada. Deve-se também ter preferência por produtos biológicos. Em suma, não existe nenhuma razão para considerar que a soja biológica, não geneticamente modificada e consumida em quantidades normais, possa ter efeitos negativos na saúde humana. John Robbins, o autor de Food Revolution, escreveu a melhor e mais completa analise desta questão que consegui encontrar até hoje. Leiam com muita atenção:

http://www.foodrevolution.org/what_about_soy.htm
http://www.foodrevolution.org/askjohn/52.htm
(Por: N. Metello)

[Por: @ 2008.11.12 - 15:29 | Responder | Imprimir ]

Re: será a soja um alimento mesmo seguro?

> Muitas pessoas, incluindo vegetarianos, acreditam que a soja é um alimento
> prejudicial. O que essas pessoas não sabem é que estas noticias alarmistas
> foram criadas pela indústria da carne e do leite que está desesperada por
> perder clientes. Estas alegações acerca da soja surgiram num artigo que
> aconselha uma dieta com todos os tipos de carne em grande quantidade e que
> defende que necessitamos de comer produtos lácteos e bife para termos os

Desde que comeci a usar as Isoflavonas de soja a minha qualidade de vida mudou imenso. Deixei de ter aqueles calores incomodativos que me desesperavam.
> nutrientes necessários (os autores deste artigo lamentam que a soja esteja
> a substituir a proteína animal). No mesmo artigo, os autores argumentam que
> é preferível alimentar uma criança com leite de vaca do que com leite de
> uma mãe vegetariana! A maioria dos opositores da soja é apologista do
> consumo de carne. Por exemplo, um certo osteopata que escreveu artigos
> contra a soja, aconselhou no entanto o consumo de bife, galinha, peru e
> outros tipos de carne. Para além disso, essas alegações baseiam-se em casos
> isolados ignorando uma enorme quantidade de estudos em humanos que provam
> precisamente o contrario. Mas há mais. A maioria das alegações contra a
> soja derivam de estudos feitos em animais, que, como se sabe, possuem
> organismos diferentes e reagem de maneira diferente aos alimentos. Nesses
> estudos certos animais foram alimentados exclusivamente com grandes
> quantidades de soja. Se acreditamos nas alegações acerca dos supostos
> malefícios da soja, então devemos também ter em conta as outras alegações
> provenientes desse mesmo artigo (o desaconselhamento de qualquer tipo de
> dieta vegetariana) e devemos igualmente passar a ter em consideração os
> ineficientes testes feitos em animais. Infelizmente, os argumentos
> apresentados neste artigo foram rapidamente divulgados em artigos
> similares, sem mais pesquisas adicionais, conseguindo mesmo aterrorizar
> muitos vegetarianos que, para felicidade dos lobbistas da carne e do leite,
> se esforçaram por divulgar artigos anti-soja entre os amigos. As pessoas
> têm uma certa relutância em substituir o leite de vaca com que cozinham ou
> que tomam ao pequeno-almoço por um substituto de soja e com estas notícias,
> muita gente acaba por não fazer qualquer alteração a esse nível.
> Pessoalmente, conheço muitas pessoas que trocaram o leite de vaca pelo de
> soja e que se sentem muito melhor assim. Algumas contaram-me que, quando,
> na falta de uma bebida de soja, consumiram leite de vaca novamente, se
> sentiram extremamente mal. A indústria da carne sabe que muita gente
> substitui a carne pela soja e esse artigo foi sem dúvida uma reacção a esse
> facto. A soja é um alimento bastante completo, possuindo uma quantidade
> elevada de proteínas(incluindo os aminoácidos essenciais), é pobre em
> gorduras e possui diversos benefícios. É claro que ninguém deve
> alimentar-se exclusivamente de soja (nem de qualquer outro alimento). Uma
> dieta, seja vegetariana ou não, deve ser equilibrada e variada. Deve-se
> também ter preferência por produtos biológicos. Em suma, não existe nenhuma
> razão para considerar que a soja biológica, não geneticamente modificada e
> consumida em quantidades normais, possa ter efeitos negativos na saúde
> humana. John Robbins, o autor de Food Revolution, escreveu a melhor e mais
> completa analise desta questão que consegui encontrar até hoje. Leiam com
> muita atenção:
>
> http://www.foodrevolution.org/what_about_soy.htm
> http://www.foodrevolution.org/askjohn/52.htm
> (Por: N. Metello)

As Isoflavonas de soja deram-me qualidade de vida
(Por: Filomena)

[Por: @ 2012.05.05 - 01:09 | Responder | Imprimir ]

Re: será a soja um alimento mesmo seguro?

Em muitos casos eles associam o uso da soja com problemas na tireoide e hormonais, mas eu nao vejo pesquisas que informem que uma vaca que antes vivia 20 anos vive somente 6 anos pois agora para produzir leite eles engravidam a vaca, ou seja tomamos o leite do bezerro q nem nasceu e a vaca neste periodo tem muitos hormonios pois esta gravida...
Gente vamos abrir os olhos e a velha historia de manga com leite faz mal que foi feita para os escravos nao tomarem leite porque era cara. Muitos mitos estão tão enraizados que
nos nem percebemos, afinal a 200 anos atrás (talvez menos) os negros não tinham alma e o mesmo dizem hoje dos animais como justificativas para come-los

Leite não é boa fonte de cálcio.
vejam o video: https://www.youtube.com/watch?feature=player_detailpage&v=LPQOzes_ORE
(Por: claudia cruz)

[Por: @ 2013.02.22 - 15:41 | Responder | Imprimir ]