Entrevista à dietista Cláudia Maranhoto

Cláudia Maranhoto é vegetariana e dietista formada pela Escola Superior de Saúde de Lisboa desde 1997. Desde então exerce prática de consulta clínica.
Trabalhou na área hospitalar no Hospital dos Capuchos de Lisboa e, actualmente, dá consultas na área de Viseu, Carregal do Sal e Nelas.
Disponibiliza também serviços de consultadoria, elaboração de ementas para lares e creches, apoio a restaurantes, realiza workshops sobre nutrição, onde está incluído o vegetarianismo, e seminários de apoio às escolas sobre alimentação infantil.
O Centro Vegetariano foi ao seu encontro para saber a sua opinião sobre a alimentação vegetariana.

1. Qual a sua posição sobre o vegetarianismo?
O vegetarianismo é para mim mais do que uma forma de alimentação, é uma forma de estar na vida. Seja qual for a convicção, seja ética, de saúde, ambiental, económica, qualquer uma delas é válida.
Acredito convictamente que quem pratica este tipo de regime é um ser humano preocupado. Preocupado com o consumo sustentado, com o sofrimento dos animais torturados, que para garantir doses industriais de alimento a alguns seres, outros morrem de fome, preocupado com o ambiente e o planeta, que pela nossa mão têm vindo a ser destruídos.
O número de vegetarianos tem aumentado e isto significa que cada vez mais nos preocupamos com o nosso planeta, com a fome no mundo, com os outros seres e com a nossa saúde.


2. Quais são para si os maiores benefícios de uma alimentação vegetariana?
Os benefícios de uma alimentação vegetariana são inúmeros e comprovados.
Claro, deve ser correctamente planeada, e dessa forma, proporciona benefícios ao nível das doenças cardíacas (com números de mortalidade tão elevados nos últimos anos), existindo por exemplo menos mortes por doenças isquémicas em vegetarianos comparativamente em não vegetarianos.

A alimentação vegetariana permite também níveis mais baixos de colesterol, menor ingestão de gorduras saturadas, menor incidência de diabetes tipo II, de hipertensão e de determinados tumores, como o tumor do cólon, da mama ou da próstata.
Permitem por outro lado, um maior consumo de hidratos de carbono complexos, fibras alimentares, antioxidantes, vitaminas C e E, ácido fólico, magnésio e potássio. Também menor consumo de sal e maior ingestão de água através dos produtos de origem vegetal.
De forma geral a dieta vegetariana é mais saudável que a dieta omnívora.

Os estudos indicam que os vegetarianos possuem, de forma geral, menor IMC, ou seja menor taxa de sobrepeso ou obesidade. Pelo facto de se ingerirem menos gorduras animais (saturadas), menos colesterol, menos sal, mais vegetais, mais fibras, consegue-se maior grau de saciedade, menos calorias e mais água, tudo factores que podem contribuir para a manutenção de um peso correcto.

No entanto, fazer uma alimentação vegetariana, não é por si só garantia de perda de peso, ou de não fazer excessos calóricos, dietas hipercalóricas também podem acontecer com o regime vegetariano, se não forem correctamente conduzidas. Por isso, como em qualquer outro tipo de dieta, deve ser cuidadosamente planeada, de forma a ser equilibrada e saudável, e para que possa contribuir para a redução do peso quando necessário.


3. Considera que a população em geral está bem informada sobre o vegetarianismo? Que ideias erradas sobre a alimentação vegetariana é importante desmistificar?

Penso que existe ainda alguma confusão acerca do vegetarianismo, e que esta surge muitas vezes por culpa dos profissionais de saúde, que por desconhecimento e por falta de actualização, os próprios semeiam a confusão.

É obrigação do profissionais, que são procurados por pessoas com intenção de alterar a sua dieta para uma dieta vegetariana, incentivar e apoiar, esclarecendo e orientando acerca do planeamento deste regime. E neste sentido, estes devem estar correctamente informados sobre este tipo de alimentação, e portanto actualizarem-se, perceberem o que mudou e o que se sabe hoje sobre o tema.
É importante desmistificar a ideia de que as proteínas vegetais não são suficientes e adequadas, que o cálcio é um elemento difícil de conseguir através do vegetarianismo, que não é suficiente o ferro conseguido na dieta vegetariana, ou que não é correcto tomar suplementos de vitamina B12.

É importante referir que os vegetarianos são pessoas que têm motivações de várias ordens, sejam elas éticas, ambientais, de saúde ou até económicas, que têm as suas convicções, que devem ser respeitadas.
Mas acima de tudo é importante deixarmos de nos agarrar às ideias e aos conhecimentos que sempre tomámos como certos e aceitar que devemos evoluir e acompanhar a informação que a ciência nos faculta, tornando-a útil à nossa vida.


4. A alimentação vegetariana fornece todos os nutrientes de que o organismo humano necessita?
Todos os nutrientes essenciais à vida podem ser obtidos através de uma alimentação vegetariana, com excepção da vitamina B12, que não encontramos na forma activa no mundo vegetal.

Não existem dúvidas e está provado cientificamente, que podemos obter os nutrientes de que necessitamos através de uma alimentação vegetariana, desde que, e insisto neste ponto, a mesma seja correctamente planeada.

Entidades internacionais, como a Associação Americana de Dietistas em conjunto com a de Nutricionistas do Canadá defendem que “as dietas vegetarianas correctamente planeadas são saudáveis, adequadas em termos nutricionais e trazem benefícios para a saúde na prevenção e no tratamento de determinadas doenças”.
Também o Instituto Americano de Pequisa do Cancro, o Fundo Mundial de Pesquisa do Cancro, a Fundação do Coração e do Derrame do Canadá, a Associação Americana do Coração, recomendam a opção por dietas com preferência pelos vegetais, com limitação do consumo de carne vermelha e menos produtos processados.

Quando se pretende modificar a alimentação optando por uma dieta vegetariana é aconselhável procurar a ajuda de um profissional, um dietista ou nutricionista, ou procurar livros, associações vegetarianas na Internet, no sentido de obter uma orientação para que não se cometam erros. Não é necessário modificar a alimentação radicalmente de um dia para o outro, pode-se gradualmente fazer as alterações de forma a que a adaptação seja mais fácil e simples.


5. Que cuidados especiais se devem ter quando se adopta um regime vegetariano?
Quem pretender optar por uma dieta vegetariana, seja ela vegana, ovo-lacto-vegetariana ou lacto-vegetariana, os cuidados são os mesmos, ou seja, a preocupação que deve existir em informar-se antes de mais sobre a dieta, como incluir todos os nutrientes necessários, e garantir que faz uma alimentação variada e equilibrada.
E isto é verdade para qualquer tipo de dieta, mesmo a dieta omnívora, para poder ser realmente equilibrada, deve ser cuidadosamente elaborada, pois também existem riscos de carências nutricionais.
Há algumas décadas, discutia-se a qualidade das proteínas, as dificuldades em suprir as necessidades do Ferro, do Cálcio, do Zinco, da Vitamina B12, etc, hoje sabe-se que em relação a todos estes nutrientes, se a dieta for correctamente planeada, não existem riscos de carências.

A questão que ainda muito se debate tem a ver com a Vitamina B12, vitamina essencial à formação do sangue e do sistema nervoso. Carências desta vitamina podem tornar-se graves a longo prazo. Por isso este é o nutriente que requer especial atenção por existir exclusivamente em produtos de origem animal (existem substâncias análogas em alguns produtos de origem vegetal, mas o seu verdadeiro aproveitamento no organismo sugere dúvidas).
Quem optar por uma alimentação vegana (sem qualquer tipo de produto de origem animal), deve ter o cuidado de incluir na sua dieta alimentos enriquecidos ou tomar suplementos de vitamina B12 para garantir o seu aporte. As pessoas que fazem a dieta ovo-lacto-vegetariana, não têm esta necessidade, porque a obtêm a partir dos ovos, ou do leite e derivados. As necessidades desta vitamina são pequenas, mas devem ser garantidas.

No entanto, os casos de deficiência da B12 não surgem por baixo consumo, mas por incapacidade de absorção, apresentada por algumas pessoas, que podem ou não ser vegetarianas.
A grande preocupação que deve existir por parte de quem pratica este regime ou pretende iniciá-lo, é informar-se e cumprir uma dieta variada, logo equilibrada.


6. Considera que as crianças podem seguir uma alimentação vegetariana ou vegana? Que conselhos daria a pais de crianças vegetarianas?
A dieta vegetariana é adequada em qualquer fase da vida. Em todas as idades as necessidades nutricionais são garantidas com a dieta ovo-lacto-vegetariana, lacto-vegetariana e vegana.

Neste tipo de regime as crianças e adolescentes adquirem o hábito saudável de consumir adequadas quantidades de produtos hortículas e fruta, situação que na minha consulta não se verifica, com as camadas mais jovens, não vegetarianas. Crianças e adolescentes omnívoras não têm o hábito de comer diariamente frutas e vegetais, beneficiando o consumo de gorduras e açúcares, muitas vezes não cumprindo o consumo de nutrientes que garanta as recomendações diárias.
Os hábitos saudáveis da dieta vegetariana promovem uma boa saúde no futuro, prevenindo doenças como a hipertensão, diabetes tipo II, colesterol elevado, doenças cardíacas, desenvolvimento de tumores, obesidade, contribuindo para uma maior longevidade e uma melhor qualidade de vida.
A ideia que deve prevalecer é a do bom senso, qualquer pessoa que pretenda adoptar este tipo de regime, deve sempre informar-se antes de iniciar a dieta, garantir que tem os conhecimentos necessários para evitar cometer erros nutricionais graves, que podem comprometer gravemente a saúde.

Para os pais o conselho que deixo, é de que invistam na saúde dos seus filhos, transmitindo-lhes ensinamentos sobre alimentação saudável, podendo esta ser a dieta vegetariana, sem qualquer preocupação, para além de que devem sempre estar bem informados de forma a garantir a ingestão de todos os nutrientes.


7. Que conselhos poderá dar a quem quer tornar-se vegetariano?
Para quem pretende iniciar-se no vegetarianismo é sempre aconselhável consultar um profissional da nutrição, um dietista ou nutricionista, no sentido de conhecer a alimentação vegetariana, saber quais os principais cuidados que deve ter, como adquirir e preparar os alimentos no sentido de realizar um regime que seja adequado e saudável.
Não é necessário que a mudança aconteça de repente de um dia para o outro, pode ir fazendo a mudança gradualmente de modo a adaptar-se, a conhecer alimentos, alternativas, enfim, a entrar neste mundo saboroso e cheio de novidades que é a alimentação vegetariana. À medida que se vai descobrindo o vegetarianismo, vamos percebendo que havia muitos sabores que desconhecíamos e alimentos que julgávamos não apreciar, que se transformam em fantásticas iguarias.
Coma bem, e de boa saúde!



Referências:
http://ocantinhodobemcomer.blogs.sapo.pt

Copyright Centro Vegetariano. Reprodução permitida desde que indicando o endereço: http://www.centrovegetariano.org/Article-509-Entrevista---dietista-Cl-udia-Maranhoto.html

Inserido em: 2008.12.05 Última actualização: 2008.12.05

Comentar printer     E-mail   Facebook F

Pessoas > Entrevistas
Pessoas > Artigos por Autor > Cristina Rodrigues



Comentários



B12

Surgiu-me uma dúvida: a levedura de cerveja é de origem animal?! é uma fonte do complexo B, incluindo a B12.
(Por: LS)

[Por: @ 2009.01.31 - 01:28 | Responder | Imprimir ]

Re: B12

A levedura de cerveja não é de origem animal. Não contém B12, apenas outras vitaminas do complexo B.

[Por: cris @ 2009.02.01 - 11:07 | Responder | Imprimir ]

Re: B12

cris escreveu:
> A levedura de cerveja não é de origem animal. Não contém B12, apenas outras
> vitaminas do complexo B.
>
Mas do que são feitos os suplementos de B12? São de origem animal? Sempre me questiono sobre este dilema. Porque parece contraditório optar-se por não comer carne para depois ter necessidade de comprimidos que acabam por ser carne processada... Aí parece-me mais autentico comer fontes de B12 menos processadas. Alguém conhece do que são feitos os comprimidos de B12?
(Por: mariana)

[Por: @ 2012.10.11 - 16:49 | Responder | Imprimir ]

Re: B12

A vitamina B12 vegana é sintética, tanto a usada em suplementos veganos como a que é adicionada em algumas marcas de leite de soja ou cereais, por ex. Se os suplementos não fossem realmente veganos nunca seriam aprovados, por ex, pela Vegan Society.


[Por: cris @ 2012.10.12 - 22:46 | Responder | Imprimir ]




Re: B12

a levedura é um fungo, ou seja possue um reino evolutivo ou filogenetico proprio, sao seres distintos das plantas e dos animais. tambem posso dizer que no processo de fabricaçao o corpo fungico é totalmente retirado do produto apos a fermentaçao, entao nao podemos levar em consideraçao o valor alimentar da levedura, a nao ser das substancias chamadas metabolitos secundarios que todo fungo secreta.
(Por: marcus)

[Por: @ 2011.01.03 - 13:13 | Responder | Imprimir ]



Entrevista

Excelente entrevista!

(Por: Pedro)

[Por: @ 2008.12.23 - 19:56 | Responder | Imprimir ]


gostei muito, façam mais divulgaçoes sobre o vegetarianismo. PARABENS á dietista e ao CENTRO VEGETARIANO
(Por: )

[Por: @ 2008.12.09 - 22:56 | Responder | Imprimir ]


Parabéns!

Depois de ler atentamente toda a entrevista, achei que devia dar os meus parabéns à entrevistada e ao Centro Vegetariano. Excelente trabalho!
(Por: m)

[Por: @ 2008.12.06 - 21:10 | Responder | Imprimir ]