Desintoxicações sazonais

As desintoxicações sazonais são medidas bastante úteis, uma vez que têm como objectivo purificar o organismo de substâncias tóxicas prejudiciais a uma boa saúde. É quase inevitável não estar exposto a estas substâncias, como por exemplo, poluentes ambientais, pesticidas, dependências tabágicas e alcoólicas e as resultantes de erros alimentares também.

Geralmente uma desintoxicação faz-se nas mudanças das estações do ano e dura 21 dias, período durante o qual o organismo altera a sua química; no entanto, podem fazer-se purificações durante períodos mais curtos (3, 5, 7 ou 10 dias, um fim-de-semana prolongado ou mini-férias, por exemplo) e quando o nosso corpo “pedir”.

Alguns sinais de necessidade de uma limpeza do fígado, rins, sistema linfático e digestivo podem ser: gripes e constipações recorrentes, fadiga e/ou distúrbios digestivos e cutâneos. Normalmente alergias cutâneas são sinónimo de substâncias tóxicas acumuladas ou excesso de organismos prejudiciais à saúde instalados no “terreno”, com origem quase sempre no intestino. Devido sobretudo a erros alimentares, a flora intestinal desequilibra-se com aumento dos organismos que nos são prejudiciais, na maioria das vezes o fungo Candida Albicans; este excesso está na base de grande parte de doenças. Por isso, quando se pretende fazer uma desintoxicação, deve começar-se por fazer uma alimentação mais “limpa” apenas baseada em cereais integrais e vegetais e exclusão de alimentos proteicos. Progressivamente, o nosso organismo vai-se desabituando de determinadas substâncias, ficando mais receptivo então a uma desintoxicação mais profunda. De igual forma, quando se acaba a cura de desintoxicação, deve-se retomar a alimentação habitual de forma gradual.

Pensa-se que desintoxicações regulares favorecem a melhoria de doenças crónicas tais como doença coronária, alergias, asma, artrite, reumatismo, tensão arterial e colesterol altos, problemas do foro digestivo e até alguns do foro psicológico.

Para uma cura de desintoxicação, deve atender-se sempre aos seguintes requisitos:

  1. Constituição da pessoa (o padrão físico e energético da pessoa, com o qual se nasce e é inalterável);

  2. Condição actual da pessoa (qual o estado de saúde, doenças crónicas, etc., e que varia constantemente);

  3. Estação do ano.

Os vegetarianos, que pratiquem uma alimentação cuidada e equilibrada, têm a tarefa facilitada na prossecução de uma desintoxicação, uma vez que na sua maioria, já cumprem algumas das recomendações: cuidados alimentares acima da média da população ingerindo quantidades adequadas de hortaliças, leguminosas e frutos de agricultura biológica, sumos naturais, preferindo o contacto com a Natureza, praticando exercício físico e estando atentos aos “pedidos” do organismo.

Existem vários tipos de curas de desintoxicação que variam consoante a época do ano e que podem ir de curas à base de água quente, sumos de frutas, chás e tisanas, ou as chamadas monodietas como a cura da uva, a cura da cereja, a cura do arroz integral, etc. Durante as monodietas a pessoa ingere apenas esse alimento durante um determinado número de dias, podendo acompanhar com água quente e eventualmente um chá alcalino, como o chá 3 anos, por exemplo.

O jejum é também considerado uma excelente forma do organismo se purificar. Durante o período do jejum a pessoa ingere apenas água quente, tisanas e/ou sumos de fruta. Apenas uma pessoa que já está habituada a fazer curas de desintoxicação deve praticar o jejum mais prolongado. De qualquer forma, um pouco de jejum semanal não nos faz mal nenhum, antes pelo contrário: podemos começar por beber água quente de manhã, depois beber uma tisana anti-toxinas à base de gengibre, curcuma, pimenta preta em grão, cominhos e hortelã e ir bebendo uma chávena dessa infusão de hora a hora. O organismo parará de expelir toxinas no momento em que começarmos a comer.

Durante uma cura de desintoxicação devem ser completamente retirados da alimentação: açúcares, lacticínios, qualquer produto de origem animal, alimentos proteicos (leguminosas e oleaginosas), fritos e gorduras, nicotina, álcool, drogas. Deve beber-se água quente em pouca quantidade mas por diversas vezes ao dia, água morna com sumo de lima ou limão, consumir purés e batidos de legumes sem gordura, algumas sementes devidamente lavadas e aquecidas ligeiramente, caldos, infusões de gengibre, curcuma (açafrão das Índias), cardamomo, cominhos, feno grego, eucalipto e hortelã-pimenta. Se aconselhado por um profissional de saúde, pode fazer-se uma limpeza do cólon.

Devem receber-se diariamente massagens (que propiciam a remoção de toxinas), tomar banhos de imersão com sal marinho, fazer sauna ou banho turco e exfoliar diariamente a pele de todo o corpo esfregando-a com uma toalha quente e húmida. Durante estes períodos de cura, a pessoa deve procurar ter uma rotina diária mais tranquila e praticar relaxamento e meditação.

Todavia, é necessário ter presente que enquanto o organismo está a efectuar uma limpeza é natural que a pessoa se possa sentir como que engripada, com dores de cabeça, aparecimento de algum acne (pequenas borbulhas na cara são sempre sinal de toxinas que o organismo está a expelir), alguma fadiga, mais transpiração e alterações digestivas; tudo isto depende de quão sobrecarregado estava o organismo e da sua sensibilidade às mudanças. Porém, são desconfortos temporários e que demonstram a eficácia da desintoxicação. Convém evitar a desidratação e descansar.

Para iniciar uma cura de desintoxicação é aconselhável que a pessoa consulte previamente um profissional de saúde ou terapeuta qualificado com conhecimentos na matéria, pois a cura indicada para um pode não ser adequada para outro e aquela que se faz no Inverno ou no Outono é diferente de uma cura primaveril ou de Verão.

De salientar que não é recomendável fazer desintoxicações aquando da ocorrência de gravidez, pré ou pós-operatório ou desequilíbrios da glucose no sangue!

 

Referências:
http://findarticles.com/p/articles/mi_m0820/is_1999_March/ai_53978551
http://www.ehow.com/way_5202094_seasonal-detox-diet.html

 



Copyright Centro Vegetariano. Reprodução permitida desde que indicando o endereço: http://www.centrovegetariano.org/Article-541-Desintoxica--es-sazonais.html

Inserido em: 2010.02.27 Última actualização: 2010.02.27

Comentar printer     E-mail   Facebook F

Saúde > Alimentação e Saúde
Pessoas > Artigos por Autor > Ana Soares
Pessoas > Artigos por Autor > Paula Soveral
Saúde > Medicinas Alternativas



Comentários



É possivel?

Olá,

Estava lendo a matéria sobre desentoxicação e gostaria de saber se é possivel realizar uma desentoxicação ainda amamentando o bebê (ele já está com 1 aninho)?
Uma vez ouvi falar que as toxinas passariam para o leite do peito, isso é verídico ou não?
E quanto a mudar a alimentação para vegetariana é possivel amamentando ou da mesma forma as toxinas migrariam para o leite?

Obrigada,
Ana
(Por: Ana)

[Por: @ 2010.05.08 - 04:10 | Responder | Imprimir ]

Re: É possivel?

> Olá,
>
> Estava lendo a matéria sobre desentoxicação e gostaria de saber se é
> possivel realizar uma desentoxicação ainda amamentando o bebê (ele já está
> com 1 aninho)?
> Uma vez ouvi falar que as toxinas passariam para o leite do peito, isso é
> verídico ou não?
> E quanto a mudar a alimentação para vegetariana é possivel amamentando ou
> da mesma forma as toxinas migrariam para o leite?
>
> Obrigada,
> Ana
> (Por: Ana)

OLá Ana,
Obrigada pelo seu contacto e questão. Tal como leu no artigo acima, há Condições em que não é aconselhável proceder a curas de desintoxicação, uma delas é durante a gravidez e aleitamento também.
Ora bem, tanto com uma alimentação omnívara como vegetariana, se ingerir produtos tóxicos, eles irão para o leite materno obviamente. Infelizmente, "alimentação vegetariana" não é sinónimo de "não toxicidade", uma vez que há produtos de origem vegetal que estão impregnados de químicos tóxicos, metais pesados, gorduras hidrogenadas (batatas fritas de pacote, aperitivos e outros), etc.
As toxinas presentes em produtos de origem animal (não biológicos) procedem sobretudo das rações, dos antibióticos e das hormonas dadas na alimentação aos animais. Para além disso, os produtos de origem animal têm gordura saturada, difícil de digerir e de eliminar.
O ideal para todos, estando a aleitar ainda mais, é tentar fazer uma alimentação variada, baseada em cereais integrais e vegetais (legumes, leguminosas e frutos) e de origem BIOLÓGICA.
Estabdo a aleitar, não tem que comer mais, mas tem que comer melhor para ter uma melhor qualidade de leite materno, e durante o máximo de tempo possível.
Quando deixar de aleitar, poderá então, de acordo com a sua Condição de saúde nessa altura, pensar num programa de desintoxicação (se ele se verificar necessário).
Não esteja preocupada tanto com isso, coma bem e BIO e dê muita alegria ao seu bebé, e lembre-se que a própria gravidez e pós parto são processos de mudança no corpo da mulher que provocam limpeza, desintoxicação e reajustamento hormonal.
Tudo vai ao sítio naturalmente na altura certa, o importante é manter uma alimentação saudável e uma rotina de vida diária tranquila e oxigenada. Faça algum exercício, nem que seja andar a pé!
Abraços!
paula Soveral

(Por: Paula Soveral)

[Por: @ 2010.05.09 - 15:29 | Responder | Imprimir ]