Posição dos partidos sobre o vegetarianismo

Em final de Abril de 2011, o Centro Vegetariano questionou os vários partidos políticos, que irão concorrer às legislativas de 5 de Junho de 2011, sobre a sua posição relativamente a alguns assuntos de interesse da comunidade vegetariana (nomeadamente oferta de refeições vegetarianas em cantinas e eventos públicos, taxas de IVA mais reduzidas para alimentos mais saudáveis, desincentivo aos subsídios à pecuária).

Transcrevemos de seguida as respostas que recebemos dos partidos que responderam.

 

Resposta do Partido Comunista Português (PCP):

"Sobre as questões que nos colocam não temos programa específico. Registamos, no entanto, algumas das vossas preocupações, que teremos em atenção na nossa intervenção futura.
Com os nossos cumprimentos,
O Gabinete Eleitoral do PCP"


Resposta do Partido pelos Animais e pela Natureza (PAN):

"O Partido pelos Animais e pela Natureza gostaria, antes de mais, de felicitar o Centro
Vegetariano pelo fundamental papel que vem assumindo em prol do vegetarianismo e do veganismo em Portugal e no mundo lusófono, bem como pela iniciativa de questionar as forças políticas nacionais de modo a que esclareçam a população sobre as suas posições a respeito desta temática.

O PAN está ciente dos inúmeros problemas e riscos associados ao consumo de carne,
peixe e outros produtos de origem animal, bem como dos benefícios de uma dieta vegetariana em termos de bem-estar animal, equilíbrio ecológico, saúde física e psicológica e distribuição eficiente de recursos alimentares no nosso planeta. Nesse sentido, não poderíamos deixar de assumir a promoção do vegetarianismo como uma das bandeiras do partido, incluindo no nosso programa político as seguintes propostas:
· Promoção de um regime alimentar mais variado, natural, saudável, ético e sustentável, nomeadamente através da alimentação biológica e do vegetarianismo, desmistificando mitos e preconceitos e divulgando as suas vantagens.
· Apoio a cidadãos que optem pelo vegetarianismo ou que o pretendam promover através da produção e distribuição de informação, consultoria, formação e debates, bem como a iniciativas que visem facilitar essa alimentação através do aumento da produção e/ou distribuição dos bens (alimentos e bebidas) a ela adequados.
· Realização e desenvolvimento de campanhas nacionais para promoção da adopção de um “Dia sem Carne” semanal, impulsionando, assim, a redução do consumo de carnes e derivados de origem animal.
· Adopção de menus vegetarianos e biológicos em cantinas de escolas, faculdades e empresas, entre outras entidades públicas e privadas, nomeadamente hotéis e restaurantes.
· Promoção, nos programas educativos de escolas e universidades, da introdução e discussão de temas sobre vegetarianismo/veganismo, ética animal, ecologia, agricultura biológica e permacultura.
· Sensibilização de crianças e jovens para a diminuição do consumo de carne e para os benefícios de uma alimentação vegetariana.
· Promoção da produção e consumo de alimentos biológicos produzidos localmente através da redução de taxas e impostos sobre eles incidentes e do incentivo ao empreendedorismo nesses sectores.
· Aplicação de uma taxa de pegada ecológica em produtos cuja produção/distribuição tenha fortes impactes ambientais, devendo as verbas cobradas ser encaminhadas para a promoção de estilos de produção sustentável.
· Eliminação de subsídios à produção de carne em regime intensivo.
· Proibição da produção e importação de foie gras.
· Fiscalização rigorosa e permanente de indústrias pecuárias, aviários, leitarias e matadouros com vista à garantia do efectivo cumprimento da legislação vigente quanto às condições de manutenção, alimentação e abate de animais para alimentação.
· Redução, tendente à eliminação, da produção de animais para consumo humano e promoção do consumo de produtos de origem vegetal.

Aproveitamos para sugerir a todos os associados do Centro Vegetariano e à comunidade vegetariana em geral a leitura do nosso programa político (disponível em www.partidoanimaisnatureza.com), onde assumimos também a defesa e promoção do bem-estar animal nas suas mais diversas vertentes, do consumo ético, consciente e sustentável, da permacultura, do direito do consumidor à informação, do fim dos OGM em Portugal, entre muitas outras medidas arrojadas em todos os domínios da vida nacional, que visam repensar Portugal a partir da relação entre homens, animais e natureza, assumindo um novo paradigma mental, ético, cultural e civilizacional.
Gostaríamos ainda de sublinhar que o PAN se encontra sempre aberto a sugestões e críticas e promove activamente, através dos seus blogs e perfis em redes sociais, a discussão de todos os temas relevantes para a construção de um país e de um Mundo
melhores para todos: humanos, animais e natureza.

Saudações fraternas, com votos de continuação e expansão do vosso belíssimo trabalho.

Paulo Borges
Presidente da Direcção Nacional
Partido pelos Animais e pela Natureza"


Resposta do Bloco de Esquerda (BE)

"No seguimento da vossa mensagem, seguem em baixo os nossos comentários aos vários pontos que levantaram, pedindo desculpa pelo atraso na resposta.

1) O Bloco de Esquerda partilha a posição de que a dieta vegetariana é adoptada por cada vez mais pessoas e reconhece as vantagens de uma alimentação vegetariana equilibrada tanto para o ambiente como para a saúde de quem escolhe este regime alimentar.
Relativamente à existência de alternativas vegetarianas em vários locais de restauração e eventos, o Bloco de Esquerda defende que devem existir alternativas vegetarianas, especialmente em locais com grande frequência de jovens, tais como as cantinas universitárias, de forma a permitir a livre escolha a quem precisa.
Por essa razão o BE manifestou-se contra a infeliz medida da Universidade de Lisboa em ter cancelado as refeições vegetarianas ao jantar na Cantina Velha da Universidade de Lisboa, conforme podem ler aqui:
http://www.parlamento.pt/ActividadeParlamentar/Paginas/DetalhePerguntaRequerimento.aspx?BID=59228
Salientamos ainda que em todos os eventos organizados pelo BE (jantares, acampamentos, fóruns) é sempre possível solicitar uma alternativa vegetariana/vegana.

2) Nos alimentos, as taxas mais reduzidas do IVA são atribuídas aos que são considerados essenciais ou de primeira necessidade, e não necessariamente aos alimentos mais saudáveis ou aqueles que respeitam mais o ambiente.
Por isso, consideramos que existem várias correcções a nível fiscal que são necessárias, nomeadamente quanto a alimentos não processados, como sementes, frutos secos ou flocos de cereais que, fazendo parte de uma alimentação equilibrada, pagam um IVA injusto.
De realçar que, desde 2008, houve uma redução do IVA de vários produtos alimentares vegetarianos (tofu, seitan, etc...) de 21% para 5% graças à iniciativa apresentada pelo Bloco de Esquerda, promovendo assim o acesso a uma dieta vegetariana.

3) De facto, a roda dos alimentos sugere um consumo de 5% de carne, peixe e ovos, mas o consumo de alimentos deste grupo em Portugal é de 15% e os respectivos subsídios na ordem dos 39%.
Esta enorme deturpação criada pelos subsídios dados à produção de animais para alimentação tem uma consequência na saúde pública e nos gastos do Estado com o Sistema Nacional de Saúde. Existe ainda um impacto directo nos nossos rios e solos uma vez que são frequentes os casos de poluição causada por explorações agro-pecuárias de grande dimensão, como na Ribeira dos Milagres, em Leiria.

Esta situação mostra que estes subsídios estão a responder aos interesses da agropecuária intensiva, preocupada apenas com a produção em massa de animais e seus derivados, e não com as necessidades das populações nem em pagar os prejuízos ambientais por si criados.

Por essa razão o Bloco de Esquerda mantêm todos os seus compromissos eleitorais apresentados nas últimas eleições legislativas,
• Fim da produção de ovos por galinhas de bateria (criação intensiva) promovendo a transição para produção de ovos “free-range” (criação extensiva);
• Subsidiar alimentos que promovam a saúde e as necessidades da população portuguesa e não os interesses dos produtores

O BE está atento às necessidades crescentes da comunidade vegetariana em Portugal e promoverá e defenderá todas as medidas que contribuam para uma melhoria das condições em Portugal que promovam um estilo de vida mais saudável, ecológico e ético.

Hugo Evangelista
Grupo Parlamentar do Bloco de Esquerda"



Copyright Centro Vegetariano. Reprodução permitida desde que indicando o endereço: http://www.centrovegetariano.org/Article-575-Posi--o-dos-partidos-sobre-o-vegetarianismo.html

Inserido em: 2011.05.29 Última actualização: 2011.06.02

Comentar printer     E-mail   Facebook F

Notícias > Notícias 2011



Comentários



Admiração???

Agora pergunto eu: admiração por outros partidos políticos não responderem? A mim? Claro que não. Surpreenderia-me, sim, se houvesse respostas de todos ou dos maiores partidos. Tenha-se como exemplo as várias cartas que a DECO envia a partidos para fazer certos estudos e os únicos (na maioria das vezes) que respondem são estes mesmo.
Neste país de mentalidades retrogadas, onde o próprio "povo" que se diz unido e jamais vencido tantas vezes proferido em manifestações, nada é feito e conquistado por nós que temos como filosofia de vida o respeito. Este respeito será não só pelo próximo mas obviamente também pelos animais e natureza, outros valores se levantam quando o tema surge e sabemos que os ditos partidos políticos (que nos últimos anos de democracia vão trocando entre si a cadeira do poder) têm interesses vários em diversas indústrias tal como é referido pelo Bloco de Esquerda.

Não estou aqui para defender um partido ou outro mas há que dar mérito a quem tem respeito pelo trabalho dos outros, mais não seja, por ter dado uma resposta.
(Por: Tina Aguiar)

[Por: @ 2011.10.29 - 18:56 | Responder | Imprimir ]


Então e os restantes partidos políticos?

Então e os restantes partidos políticos?
Mais ninguém respondeu?

A mim parece-me que apenas o PCP teve a coragem de assumir que não têm reflexões sobre esta temática e eventualmente poderão considerá-la no futuro.

Os outros partidos parecem ter receio de parecer politicamente incorrectos pois possivelmente até têm "patrocinados" no ramo que irá ser beneficiado negativamente com o levantamento da temática do vegetarianismo... Quando não podem agradar a uns e outros, escolhem a via do silêncio (e do voto em branco).
(Por: Cristiano)

[Por: @ 2011.05.30 - 11:29 | Responder | Imprimir ]

Re: Então e os restantes partidos políticos?

é o seguinte: os outros partidos não responderam porque estão muito ocupados com o programa da troika certamente, alias à pouco tempo coloquei uma questao social aos diferentes partidos e apenas obtive resposta do BE e do PCP. mais uma vez o PCP optou por se demarcar, dizendo que não tem posição. não considerem isto uma virtude, mas sim um falho.
Agradou-me a posição do BE e do PAN que julgo ser sem qualquer interesse FORÇA !

(Por: Cláudia Campos)

[Por: @ 2011.06.09 - 15:18 | Responder | Imprimir ]


Re: Então e os restantes partidos políticos?

Mais nenhum partido respondeu no prazo de quase um mês que tiveram para o fazer.

[Por: cris @ 2011.05.30 - 20:27 | Responder | Imprimir ]