Civilização e Ecologia

A humanidade é constituída, actualmente, por uma população de mais de 6 biliões de indivíduos. E continua a crescer em ritmo acelerado.
Com isso cresce também o impacto negativo sobre o ambiente, já que matamos seres de outras espécies para diversos fins, destruímos ecossistemas naturais e eliminamos os nossos excrementos e lixo nos mares, nos rios ou no solo.Os efeitos globais da poluição gerada pelo desenvolvimento industrial já são evidentes: chuvas ácidas, buracos na camada de ozono, elevação da temperatura em todo o planeta, o efeito estufa, entre outros. Porém, mesmo frente a estas constantes perdas da natureza, ainda se faz muito pouco para deter tais acções nocivas ao meio ambiente. Por isso acreditamos que através da educação e da informação podemos motivar as pessoas para uma participação activa na sociedade, de modo consciente, crítico e criativo, exercendo sua cidadania, e colaborando com a preservação do meio ambiente. Deste modo dar-se-ão mudanças que contribuirão para o bem estar de todos.
A intervenção do homem no meio ambiente ao longo da história foi sempre no sentido de agredir e destruir o equilíbrio ecológico, não raro com consequências desastrosas (queimadas, desequilíbrio da fauna e da flora, extinção de animais, etc).
Em todo o mundo são geradas milhões de toneladas de lixo por dia (por exemplo, o brasil gera 240 mil toneladas por dia, sendo esta quantidade é directamente proporcional ao "desenvolvimento" do país). E boa parte dessa quantidade de lixo é resultado dos produtos industrializados, maioritariamente descartável. Por exemplo, um único hipermercado é capaz de gerar até 10 toneladas de lixo diário.
Isso sem contar questões como o lixo tecnológico (pilhas, telas de TV, e outros que vazam chumbo, que se infiltra na terra, contaminando os lençóis freáticos e podendo prejudicar a cadeia alimentar), lixo hospitalar e outros.
Hoje o Brasil (país do qual foi mais fácil encontrar estes dados, mas nos outros o cenário deve ser semelhante) transforma somente 3% de seu lixo em adubo e apenas 2% é reciclado. Isso é causado por dois motivos.
Primeiro porque reciclar o lixo, dependendo do material, pode ser 10 vezes mais caro do que depositá-lo num aterro. Por isso, em muitos países, os fabricantes de embalagens e produtos poluentes são responsáveis pelo destino final de seus produtos, obrigando a que para comprar um produto novo seja necessário entregar um usado ao vendedor.
Mas o segundo motivo é em função da baixa pressão que existe por parte da população para que seja feita esta reciclagem. Ou seja, é importante que cada pessoa se empenhe individualmente e tenha um comportamento ecológico.

A decisão de proteger os ambientes naturais e controlar a poluição não está apenas nas mãos dos políticos e dos grandes industriais. Está sobretudo na rotina diária de cada cidadão do planeta. A tabela seguinte enuncia os tempos de decomposição de vários tipos de lixo, que pode dar uma ideia da importância de não poluir.

Material Tempo de decomposição

Cascas de frutas

de 1 a 3 meses

Papel

de 3 a 6 meses

Panos

de 6 meses a 1 ano

Chicletes

5 anos

Madeira pintada

15 anos

Pontas de cigarro

de 5 a 10 anos

Nylon

mais de 30 anos

Sacos plásticos

de 30 a 40 anos

Latas de alumínio

de 80 a 100 anos

Garrafas de vidro

1 milhão de anos

Borracha

tempo indeterminado

Garrafas de plástico (PET)

tempo indeterminado

Algumas dicas do que todas as pessoas podem fazer:

- Antes de colocar alguma coisa no lixo pensa em como poderia ser reutilizado.

- Separa papéis, garrafas, vidros, plásticos e latas. A reciclagem diminui a demanda por matérias-primas virgens e reduz o consumo de energia. Evita os descartáveis. Embalagens de espuma, latas de refrigerantes e plástico são materiais difíceis de degradar no ambiente.
Também provocam poluição atmosférica, quando queimados .

- Prefere produtos duráveis, que não precisem de ser trocados com frequência.

- Substitui as pilhas pela energia eléctrica. Quando não for possível, prefere pilhas sem cádmio e mercúrio ou recarregáveis.

- Opta por produtos com o mínimo de embalagem, de preferência feita com materiais recicláveis.

- Prefere embalagens retornáveis ou reutilizáveis.

- Procura comprar alimentos naturais, que são produzidos sem o uso de produtos industrializados e agrotóxicos.

- Prefere produtos mais concentrados (tipo tamanho familiar), que geram menor volume de lixo.

- Evita consumir produtos descartáveis

- Evita consumir produtos de limpeza à base de cloro, tintas que tenham chumbo na sua composição e produtos de plásticos PVC (identificado com o número 3 ou com a letra V). Todas essas substâncias são tóxicas ao homem e ao ambiente.

- Reduz o uso de veículos. Em pequenos percursos utiliza bicicleta, ou vai a pé. Para percursos mais longos os transportes colectivos são uma opção mais ecológica (poluem mais do que um carro, mas levam mais pessoas), designadamente o combóio.

- Evita comprar móveis feitos de mogno que é uma madeira em extinção, além de recursos naturais na decoração.

- Reduz desperdícios de toda ordem. Quanto mais recursos são desperdiçados, tanto mais é preciso tirar do meio-ambiente. Evita o consumo desnecessário de energia. Não há produção de energia sem impacto ambiental. Compra electrodomésticos e lâmpadas eficientes, mantém os teus aparelhos sem vazamentos, não deixes luzes acesas.
Opta por residências com boa iluminação natural e usa aquecimento solar.

- Reduz o consumo de água. A água canalizada demanda energia e tratamento para chegar até tua casa. Evita vazamentos e desperdícios.
Boicota produtos que causam impacto ambiental, como spray com CFC.
Boicota alimentos e mercadorias que implicam na morte de animais selvagens ou danos à flora: palmito silvestre, xaxin, orquídea, azevinho, atum, tartaruga (carne, ovos e subprodutos do casco), colares de coral, casacos de pele, bolsas e cintos de jacaré, peças de marfim.

- Não compres animais capturados para criar em casa. Não estimules o comércio ilegal da fauna. Micos, macacos, onças, tucanos, araras, papagaios, tartarugas, peixes ornamentais e outros fazem falta ao ecossistema.

- Verifica o destino adequado dos restos. Não contamines o lixo e o esgoto da tua cidade.

- Protege parques, áreas verdes, praias, rios e mares. Não compres lotes irregulares no litoral.

Referências:

http://www.maeterra.com.br


Copyright Centro Vegetariano. Reprodução permitida desde que indicando o endereço: http://www.centrovegetariano.org/Article-72-Civiliza--o-e-Ecologia.html

Inserido em: 2002.05.09 Última actualização: 1999.11.29

Comentar printer     E-mail   Facebook F

Meio Ambiente > Ambiente e intervenção
Consumidor Vegetariano > Truques e Dicas