Sobre os espinafres Sobre os espinafres

Sobre os espinafres

O espinafre é uma hortaliça com enorme valor fisiológico e nutritivo, bastante rico em vitaminas, minerais em forma de sais, clorofila, oligoelementos e fermentos. 100g de espinafre contêm 93 g de água; 2,3 g de proteínas; 0,3 g de gordura e 1,8 g de hidratos de carbono e apenas umas 20 calorias.
Também contém quercitina, um fitoquímico com propriedades antioxidantes, vitamina K, magnésio e manganésio.


Pensa-se que o mito da riqueza em ferro dos espinafres tenha sido propagado por um erro matemático do dr. E. von Wolf em 1870, mas em 1937 químicos alemães corrigiram-no.
Segundo investigadores da Universidade do Estado da Pensilvânia nos E. U. A., poucos dias após a colheita os espinafres começam a perder nutrientes, pelo que devem ser consumidos o mais depressa possível após a compra, aproveitando sempre a água de cozedura para que não se perca nada do seu valor. De facto, após 8 dias no frigorífico a temperatura pouco baixa, os espinafres perdem cerca de metade dos nutrientes, pelo que se deve reduzir a temperatura e o tempo de conservação.
Os espinafres contêm níveis altos de oxalato (sal do ácido oxálico), o qual se liga ao ferro formando oxalato ferroso, o que significa que não pode ser decomposto nem absorvido pelo metabolismo pois interfere na absorção de minerais, nomeadamente de ferro e cálcio. Assim, este vegetal não deve ser cozinhado juntamente com alimentos ricos em cálcio, mas a sua proteína deve ser complementada com a do arroz ou a de outros cereais. É difícil para o nosso organismo absorver de forma óptima o ferro não-heme* de origem vegetal, por isso o consumo de espinafres deve ser concomitante com alimentos ricos em vitamina C. O ácido oxálico também pode representar um problema para pessoas propensas a pedra nos rins e na bexiga (que se formam dos oxalatos).
Sem exagero, costuma dizer‑se que os elementos activos do espinafre são tão numerosos que substituem meia farmácia. De facto, esta saborosa hortaliça de folha é rica em cálcio, fósforo e enxofre. Só com estes três factores ocuparia já um lugar destacado no regime nutritivo, contudo o espinafre oferece ainda uma composição ideal de toda a melhor farmacopeia que é necessária e eficaz para a formação do sangue, ou seja: arsénico (0,009 mg em 100g), cobre, iodo, ferro (10mg em 100g), vitamina C e clorofila, que é quimicamente muito parecida com a hemoglobina humana.
Contém também vitamina A (a vitamina para a protecção da pele e das mucosas) em quantidade notável e vitaminas do grupo B. Note‑se de igual modo a presença da secretina no espinafre, que combinada com a saponina (elemento de características semelhantes às do sabão) exerce um efeito de aceleração e aumento da secreção no fígado, na vesícula biliar, no pâncreas, estômago e intestinos. O espinafre é também uma boa fonte de luteína, um tipo de carotenóide altamente eficaz na prevenção de cancro do cólon, uma das causas de morte mais comuns em Portugal. A luteína não se encontra em suplementos, mas apenas em frutas e vegetais frescos. A propósito deste carotenóide, investigadores do Centro Médico da Universidade do Utah, E. U. A., concluíram que o risco de cancro do cólon foi significativamente reduzido em 1993 pacientes com níveis de ingestão de luteína mais elevados. Ao contrário de outros carotenóides, a luteína tem um efeito protector mais eficaz a nível das membranas.
No seu livro A Saúde Pelos Alimentos, o Dr. Ernest Scnheider elege mesmo este legume da seguinte forma: «(...)o espinafre ocupa o primeiro lugar, com grande vantagem, entre as hortaliças, pelo seu conteúdo em proteínas, vitaminas e elementos minerais (...)» e refere a sapiência das Árabes em relação ao mesmo: «…Árabes… sabiam que o espinafre é “bom para o fígado, remédio para a icterícia e laxante para a digestão”.»
O efeito curativo do espinafre ou do seu suco já demonstrou eficácia no tratamento de obstipação, sede, diabetes, tonturas, acne, desmineralização óssea, hipertensão, anemias (sobretudo nas chamadas hipocrónicas), durante os anos de desenvolvimento, na aceleração da reposição de sangue, no pós operatório, eczemas cutâneos crónicos, insuficiência funcional das glândulas digestivas (fígado, pâncreas), escrófulas, avitaminoses, assim como em hemorragias internas ocultas ou declaradas. Uma alimentação abundante em espinafres, sempre que não se consumam muitos alimentos de grande produção de ácidos, tais como carne, ovos, avelãs, nozes e semelhantes ou cereais, tende também a produzir uma reacção alcalina da urina, que é a que se procura nas doenças para a desintoxicação, evacuação e expulsão de sal.
Desempenha igualmente um papel importante nas doenças gástricas da amamentação e da primeira infância, bem como na alimentação dos doentes. O seu conteúdo em ácido fólico ajuda a prevenir problemas de desenvolvimento do feto como a espinha bífida.
Também investigadores do Oak Ridge National Laboratories, no Tennessee, E.U.A., constatando a capacidade de este vegetal gerar impulsos eléctricos quando em contacto com a luz durante a fotossíntese, retiraram do espinafre pigmentos fotossensíveis e adicionaram-nos a células nervosas da retina, as quais reagiram na presença de luz, fazendo crer que algumas formas de cegueira podem ser assim tratadas por via da estimulação voltaica.


*heme: designação dos compostos de porfirina e ferro bivalente; pigmento orgânico vermelho complexo que contém ferro e outros átomos aos quais o oxigénio se liga.


Referências:
http://www.abhorticultura.com.br
A Saúde Pelos Alimentos, Ernest Schneider (médico), Publicadora Atlântico, 1977
http://www.saudenainternet.pt
http://www.wholehealthmd.com
American Journal of Clinical Nutrition, Fev. 1, 2000
http://www.healthcentral.com
http://www.webmd.com



Copyright Centro Vegetariano. Reprodução permitida desde que indicando o endereço: http://www.centrovegetariano.org/Article-383-Sobre%2Bos%2Bespinafres.html

Inserido em: 2006.03.25 Última actualização: 2009.12.07

Comentar printer     E-mail   Facebook F

Alimentação > Alimentos > Legumes e outros vegetais
Pessoas > Artigos por Autor > Ana Soares



Comentários



Espinafre pode matar

Prezados,

Fiquei mto confusa com essa matéria já que minha nutricionista retirou da minha dieta o espinafre por dizer que ele tem o ácido oxálico e fítico e que os mesmos podem causar óbito.
Pesquisei o assunto e encontrei a pesquisa da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ/USP)que afirma que:
"Os resultados também sugerem que além da grande presença de ácido oxálico e fítico, provavelmente a folha do espinafre contenha outras substâncias tóxicas, que supostamente levaram à óbito os animais do estudo, bem como causaram o incidente com os recém-nascidos nos Estados Unidos. Essas substâncias, ainda não identificadas, exerceriam ações tóxicas em pessoas mais sensíveis e levariam a chamada "doença do branco do olho azul".
O que vcs tem a dizer sobre isto?
Grata!
Abraço,
Claudia.
(Por: Claudia Maria Messores)

[Por: @ 2014.11.04 - 12:06 | Responder | Imprimir ]

Re: Espinafre pode matar

A doença do olho branco deve-se à mistura de espinafres com leite, consumida em excesso. O consumo de espinafres por si só não parece ter qualquer problema, se consumidos moderadamente.

[Por: cris @ 2014.11.11 - 17:53 | Responder | Imprimir ]



Re: e o ácido oxálico?

No artigo também se fala do ácido oxálico e das suas desvantagens: "(...)no entanto o espinafre não deve ser cozinhado juntamente com alimentos ricos em cálcio, pois contém grandes quantidades de ácido oxálico, que em conjunto com o cálcio reage formando oxalato de amónio, o que perturbará a absorção de cálcio pelo organismo."

O ideal é consumir espinafres com moderação e evitar ingeri-los em conjunto com alimentos ricos em cálcio.

[Por: cris @ 2006.03.28 - 03:22 | Responder | Imprimir ]

Re: e o ácido oxálico?

O ácido oxálico não reage apenas com o cálcio, mas também com o magnésio, ferro, etc.
Com a ingestão do espinafre, o ácido oxálico reage não apenas com os minerais dos outros alimentos, mas também com os do próprio espinafre. Assim, é praticamente inútil comer espinafre porque é rico em ferro e cálcio, já que pouco aproveitamos disso.
A reacção do ácido oxálico com o calcio não forma oxalato de amónia (?), mas sim oxalato de cálcio. E a diminuição da absorção do cálcio acontece porque o ião cálcio ao ligar-se no oxalato de cálcio, deixa de estar disponível para ser absorvido pelo organismo.
Com o inconveniente de que os oxalatos são sais insolúveis e promovem a formação de cálculos renais.
O espinafre deveria ser banido da alimentação, até porque existem muitos outros vegetais nutritivamente muito superiores e sem as desvantagens do espinafre: couve,rúcula, nabiça, agrião, espinafre da Nova Zelândia, etc.
Em alguns países o espinafre é mesmo considerado tóxico e não comestível.
Ainda relativamente ao ácido oxálico, as acelgas e a beterraba tambem devem ser ingeridas em pouca quantidade, já que embora em menor concentração, também são muito ricas em ácido oxálico.
Para minimizar o efeito do ácido oxálico deve ser tomado conjuntamente na mesma refeição um suco rico em ácido ascórbico, vitamina C.



cris escreveu:
> No artigo também se fala do ácido oxálico e das suas desvantagens: "(...)no
> entanto o espinafre não deve ser cozinhado juntamente com alimentos ricos
> em cálcio, pois contém grandes quantidades de ácido oxálico, que em
> conjunto com o cálcio reage formando oxalato de amónio, o que perturbará a
> absorção de cálcio pelo organismo."
>
> O ideal é consumir espinafres com moderação e evitar ingeri-los em
> conjunto com alimentos ricos em cálcio.
>

(Por: Fátima Rocha)

[Por: @ 2009.05.07 - 11:40 | Responder | Imprimir ]

Re: e o ácido oxálico?

> O ácido oxálico não reage apenas com o cálcio, mas também com o magnésio,
> ferro, etc.
> Com a ingestão do espinafre, o ácido oxálico reage não apenas com os
> minerais dos outros alimentos, mas também com os do próprio espinafre.
> Assim, é praticamente inútil comer espinafre porque é rico em ferro e
> cálcio, já que pouco aproveitamos disso.
> A reacção do ácido oxálico com o calcio não forma oxalato de amónia (?),
> mas sim oxalato de cálcio. E a diminuição da absorção do cálcio acontece
> porque o ião cálcio ao ligar-se no oxalato de cálcio, deixa de estar
> disponível para ser absorvido pelo organismo.
> Com o inconveniente de que os oxalatos são sais insolúveis e promovem a
> formação de cálculos renais.
> O espinafre deveria ser banido da alimentação, até porque existem muitos
> outros vegetais nutritivamente muito superiores e sem as desvantagens do
> espinafre: couve,rúcula, nabiça, agrião, espinafre da Nova Zelândia, etc.
> Em alguns países o espinafre é mesmo considerado tóxico e não comestível.
> Ainda relativamente ao ácido oxálico, as acelgas e a beterraba tambem
> devem ser ingeridas em pouca quantidade, já que embora em menor
> concentração, também são muito ricas em ácido oxálico.
> Para minimizar o efeito do ácido oxálico deve ser tomado conjuntamente na
> mesma refeição um suco rico em ácido ascórbico, vitamina C.
>
>
>
> cris escreveu:
> > No artigo também se fala do ácido oxálico e das suas desvantagens:
> \"(...)no
> > entanto o espinafre não deve ser cozinhado juntamente com alimentos
> ricos
> > em cálcio, pois contém grandes quantidades de ácido oxálico, que em
> > conjunto com o cálcio reage formando oxalato de amónio, o que perturbará
> a
> > absorção de cálcio pelo organismo.\"
> >
> > O ideal é consumir espinafres com moderação e evitar ingeri-los em
> > conjunto com alimentos ricos em cálcio.
> >
>
> (Por: Fátima Rocha)

Tens toda a razão mas banido não!! Como em tudo na vida.....moderação!! A ciência, por mais que tente, nunca conseguirá explicar todos os benefícios e consequências de todas as coisas. É assim, sempre foi assim e sempre será! O Popeye, desenho-animado dos EUA, tomava espinafres para ficar mais forte e, no entanto, quando alguma empresa do mesmo país teve a célebre ideia de enriquecer o leite com espinafres, começou gente a morrer com a chamada doença do olho-branco. Afinal, sempre era mais cálcio e ferro com fartura.

E agora querem bani-lo por causa dos oxalatos e de subs. tóxicas. Daqui a 30 anos vamos ter mais notícias e, afinal, chegam à conclusão que já se deve comer outra vez. Ainda nem descobriram todos os compostos e moléculas do espinafre!! Do espinafre e de quase todos eles!

Haja moderação e inteligência

(Por: Gonçalo)

[Por: @ 2011.10.20 - 16:00 | Responder | Imprimir ]

Re: e o ácido oxálico?

Decidir por uma nova dieta pode ser considerada uma dor e um dos principais problemas para iniciar a dieta e o estilo de vida Vegan poderá ajudar nessa decisão.
http://harmonianatureza.com.br/

> > O ácido oxálico não reage apenas com o cálcio, mas também com o
> magnésio,
> > ferro, etc.
> > Com a ingestão do espinafre, o ácido oxálico reage não apenas com os
> > minerais dos outros alimentos, mas também com os do próprio espinafre.
> > Assim, é praticamente inútil comer espinafre porque é rico em ferro e
> > cálcio, já que pouco aproveitamos disso.
> > A reacção do ácido oxálico com o calcio não forma oxalato de amónia (?),
> > mas sim oxalato de cálcio. E a diminuição da absorção do cálcio acontece
> > porque o ião cálcio ao ligar-se no oxalato de cálcio, deixa de estar
> > disponível para ser absorvido pelo organismo.
> > Com o inconveniente de que os oxalatos são sais insolúveis e promovem a
> > formação de cálculos renais.
> > O espinafre deveria ser banido da alimentação, até porque existem muitos
> > outros vegetais nutritivamente muito superiores e sem as desvantagens do
> > espinafre: couve,rúcula, nabiça, agrião, espinafre da Nova Zelândia,
> etc.
> > Em alguns países o espinafre é mesmo considerado tóxico e não
> comestível.
> > Ainda relativamente ao ácido oxálico, as acelgas e a beterraba tambem
> > devem ser ingeridas em pouca quantidade, já que embora em menor
> > concentração, também são muito ricas em ácido oxálico.
> > Para minimizar o efeito do ácido oxálico deve ser tomado conjuntamente
> na
> > mesma refeição um suco rico em ácido ascórbico, vitamina C.
> >
> >
> >
> > cris escreveu:
> > > No artigo também se fala do ácido oxálico e das suas desvantagens:
> > "(...)no
> > > entanto o espinafre não deve ser cozinhado juntamente com alimentos
> > ricos
> > > em cálcio, pois contém grandes quantidades de ácido oxálico, que em
> > > conjunto com o cálcio reage formando oxalato de amónio, o que
> perturbará
> > a
> > > absorção de cálcio pelo organismo."
> > >
> > > O ideal é consumir espinafres com moderação e evitar ingeri-los em
> > > conjunto com alimentos ricos em cálcio.
> > >
> >
> > (Por: Fátima Rocha)
>
> Tens toda a razão mas banido não!! Como em tudo na vida.....moderação!! A
> ciência, por mais que tente, nunca conseguirá explicar todos os benefícios
> e consequências de todas as coisas. É assim, sempre foi assim e sempre
> será! O Popeye, desenho-animado dos EUA, tomava espinafres para ficar mais
> forte e, no entanto, quando alguma empresa do mesmo país teve a célebre
> ideia de enriquecer o leite com espinafres, começou gente a morrer com a
> chamada doença do olho-branco. Afinal, sempre era mais cálcio e ferro com
> fartura.
>
> E agora querem bani-lo por causa dos oxalatos e de subs. tóxicas. Daqui a
> 30 anos vamos ter mais notícias e, afinal, chegam à conclusão que já se
> deve comer outra vez. Ainda nem descobriram todos os compostos e moléculas
> do espinafre!! Do espinafre e de quase todos eles!
>
> Haja moderação e inteligência
>
> (Por: Gonçalo)

(Por: Claudio Gomes)

[Por: @ 2014.03.23 - 16:40 | Responder | Imprimir ]





e o ácido oxálico?

http://www.abhorticultura.com.br/Nutricio/Default.asp?id=1763

http://en.wikipedia.org/wiki/Spinach
(Por: Savoy)

[Por: @ 2006.03.27 - 21:41 | Responder | Imprimir ]