Os alimentos na prevenção do cancro

Pensa-se que a alimentação está associada a cerca de um terço de todos os cancros.
Apesar de os estudos epidemiológicos e de laboratório que avaliam o papel da dieta na etiologia do cancro produzirem resultados controversos, e não estabelecerem uma relação causa-efeito definitiva, o National Cancer Institute crê ser possível, com base nos melhores dados científicos disponíveis, formular orientações dietéticas prudentes para indivíduos sãos que desejem reduzir o risco de cancro e promover uma boa saúde em geral.
As recomendações dietéticas para a prevenção do cancro são:
- Reduzir a ingestão de gorduras para 30% ou menos das calorias totais;
- Aumentar a ingestão de fibra para 20-30 gr/dia, com limite superior de 35 grs;
- Incluir uma grande variedade de fruta e vegetais na alimentação diária;
- Evitar a obesidade;
- Consumir bebidas alcoólicas com moderação, ou evitá-las de todo;
- Reduzir ao mínimo o consumo de alimentos fumados, salgados, tostados e churrascos.

Um desequilíbrio entre a produção e a eliminação de radicais livres pode favorecer as condições que permitem o desenvolvimento de certos cancros.
A importância da presença abundante de fruta e legumes na alimentação deve-se, entre outras, à função de certas vitaminas e minerais antioxidantes, que contrariam o efeito nocivo dos radicais livres. É o caso das vitaminas E, C e A (betacaroteno), e dos minerais selénio, ferro, cobre e zinco.
A vitamina C, presente nos frutos e legumes, é um poderoso antioxidante, que desactiva directa e
indirectamente os radicais livres de oxigénio. A vitamina E (tocoferol), presente em óleos de trigo,
milho, girassol, soja, azeite, ovos e peixes gordos, é o mais poderoso antioxidante das membranas celulares.
O betacaroteno (provitamina A) existente em frutos e legumes de cor intensa (amarelo, cor de laranja, verde escuro), tem grande poder antioxidante ao nível do epitélio dos pulmões, bexiga, mama, colo do útero e do endométrio.
O selénio, um mineral que aparece em quantidades vestigiais nos ovos, vísceras (miudezas), marisco e lacticínios, faz parte de uma enzima (glutatião peroxidase, envolvida na protecção dos tecidos orgânicos contra os radicais livres.
Existem outras substâncias chamadas fitoquímicos, presentes em certos produtos de origem vegetal, cuja capacidade anticancerígena foi avaliada pelo National Cancer Institute: as plantas. Com a mais alta competência anticancerígena temos: o alho, o feijão de soja, a couve, o gengibre, o alcaçuz, a cenoura, o aipo, a salsa e os coentros. Com menor actividade: as cebolas, as sementes de linho, os citrinos, os brócolos, as couves de Bruxelas.
A introdução de hábitos de vida saudáveis no que respeita à escolha dos alimentos e a prática de uma actividade física regular e moderada resultam numa promoção da saúde e reduzem os riscos de cancro.




Copyright Centro Vegetariano. Reprodução permitida desde que indicando o endereço: http://www.centrovegetariano.org/Article-175-Os-alimentos-na-preven--o-do-cancro.html

Inserido em: 2003.01.19 Última actualização: 2006.11.11

Comentar printer     E-mail   Facebook F

Saúde > Alimentação e Saúde