Entrevista a Pedro Videira

Pedro Videira, colaborador da associação ANIMAL, vegano e com dois cães vegetarianos, partilha connosco algumas das suas opiniões acerca do vegetarianismo e do seu trabalho com animais.

1. Há quanto tempo és vegetariano? Porquê?

Sou vegetariano desde Abril de 2005 (há quase seis anos) e vegano desde Julho de 2008 (há dois anos). Começou por em 2004 iniciar o voluntariado no albergue da União Zoófila e assim obrigar-me a questionar várias coisas. Como podia eu amar uns e comer outros? Deixei de comer apenas os cadáveres de animais, mas graças à minha ignorância, continuei a comer lacticínios e ovos achando que assim a minha alimentação estava isenta de crueldade para com os animais. Só uns anos mais tarde é que "acordei" muito graças à convivência com as pessoas da ANIMAL que me fizeram ver de forma mais clara o óbvio e a procurar saber mais coisas. Foi nessa altura que me tornei vegano pois as indústrias de lacticínios, de ovos e de mel estão muito, mas muito longe de estarem isentas de crueldade.


2. Que impactos tem o vegetarianismo na tua vida em geral?

Não tem nenhum impacto propriamente. Estou habituado à minha vida vegana e não custa nada. Por exemplo se for a algum sítio com vários estabelecimentos de restauração muitas das coisas nem sequer são hipóteses que rejeito. Não são hipóteses de todo. É como se se tratassem de lojas de roupa por exemplo. Tudo o que se vendem não é comida.


3. Costumam fazer-te perguntas acerca do vegetarianismo? Como respondes?

Até as pessoas se habituarem à nossa mudança, há sempre perguntas, comentários, críticas, troça, etc. Se for alguém minimamente interessado, ou educável, ou até mesmo curioso, tenho todo o prazer de lhe explicar porque sou vegano, o que como, como faço em saídas, etc. Mas se for troça ou mesmo alguém impenetrável já não me aborreço com isso. Posso responder a um ou outro argumento, mas em regra geral, já não me aborreço com pessoas não educáveis.


4. Na tua opinião, o que é preciso fazer para chamar a atenção da população em geral para o sofrimento infligido aos animais?

Acho que a única forma para chamar a atenção é através da sensibilização. As pessoas não querem saber, muito menos procuram saber. Estão demasiado confortáveis nas suas vidas. Essa sensibilização poderá não ser fácil. Por vezes panfletos podem ajudar, enviar por email textos, fotografias, vídeos (apesar de grande parte das pessoas não verem e apagarem assim que se apercebem do conteúdo). Campanhas visuais na rua. Algo que choque para que as pessoas se questionem quanto ao que realmente interessa. Como grande parte das pessoas pensa que o ser humano é superior aos outros animais, por vezes devemos comparar a nós, humanos, os vários tipos de sofrimento que são infligidos aos outros animais. Sei que pode não ser fácil, e mesmo por isso precisamos sempre de cada vez mais gente a mexer-se. Cada vez mais activistas a ajudar a espalhar a palavra.


5. Consideras também importante divulgar o vegetarianismo pela sua vertente ecológica ou achas secundário?

Obviamente que é importantíssimo. Acho que o veganismo é mesmo o primeiro de todos os passos importantes relativamente ao respeito pelos outros, sejam animais, sejam plantas, seja o meio ambiente, seja o que for. Basta só se investigar um pouco para se ver o impacto directo em termos ecológicos que tem tudo o que envolve o consumo de produtos de origem animal.


6. Já trabalhaste ou trabalhas directamente com animais?

Em termos de trabalho directo com animais, já fiz voluntariado na União Zoófila durante alguns anos. Devido a ter cada vez menos tempo para os meus cães acabei por me afastar um pouco. Só mantenho os passeios ao domingo de manhã com a minha amiguinha de quatro patas que lá está, que infelizmente não me é possível adoptar.


7. Tens animais? Como os alimentas?

Tenho dois cães. A Lessa e o Rafa. Alimento-os com ração vegetariana hipoalergénica. É completa e eles adoram. Não faria sentido eu ser vegetariano por razões éticas e dar aos meus miúdos ração à base de animais estilhaçados.

 

8. Tens alguns conselhos para jovens que pretendem tornar-se vegetarianos mas encontram muita resistência familiar?

Sejam firmes. Lembrem-se sempre que apesar de nós, vegetarianos, estarmos em minoria nós estamos certos. Ao longo da História todos os grandes movimentos éticos começaram por ser poucas pessoas. Por vezes em casa demora até conseguirmos a compreensão e o respeito dos familiares, mas normalmente acaba por acontecer com o passar do tempo. Quando baixam as "armas" muitas vezes ganham também interesse, e quem sabe, possam também vir a ser vegetarianos. Se quiserem obrigar-vos a comer animais mortos, resistam sempre. Repito vocês estão correctos.


9. Há alguma receita culinária que tenhas criado e queiras partilhar?

Receita propriamente dita não. Posso partilhar um "desenrasque" que eu inventei, que eu adoro e é rápido de se fazer. Corta-se batatas aos bocados põe-se numa panela dentro de água com favas, um pouco de sal e leva-se ao lume. Deixa-se ferver por apenas cinco minutos para ficar mal cozido. Tira-se a água toda e junta-se azeite, alho aos bocadinhos e amêndoa aos palitos (não é a laminada, é aquela que normalmente é usada para se fazer tartes). Leva-se novamente ao lume para fritar no azeite. No final, depois de estar frito, quem quiser pode juntar natas de soja e/ou molho de soja (caso se use o molho de soja há que ter em atenção o sal que se usou no início pois o molho de soja é salgado). Por vezes junto também azeitonas no final. A amêndoa fica um pouco tostada mas as favas e as batatas ficam cozidas por dentro e fritas por fora. Adoro e é rápido de se fazer. Como disse, é um desenrasque.



Copyright Centro Vegetariano. Reprodução permitida desde que indicando o endereço: http://www.centrovegetariano.org/Article-570-Entrevista-a-Pedro-Videira.html

Inserido em: 2011.02.05 Última actualização: 2011.02.05

Comentar printer     E-mail   Facebook F

Pessoas > Entrevistas
Pessoas > Artigos por Autor > Ana Soares



Comentários



ser vegetariana

no vegetarianismo,me encontrei,sou muito mais tranquila,talves por ñ me culpar mais por tantas atrocidades infligidas aos animais de abate,tenho muito mais saude,me amo muito mais,ha!!!!! e tudo de bom ser vegan
(Por: lucia moreira)

[Por: @ 2011.08.10 - 01:54 | Responder | Imprimir ]


como divulgo vegetarianismo

eu divulgo veganismo,com fotos de animais sendo massacrados para se comer,tenho uma pequena confecção onde coloco na parede cartazes de fotos k imprimo, copiadas dos amigos veganos no orkut,coloquei ate na minha pagina de fotos para os amigos verem ~k pra mim é coisa muito seria k levo a sério veganismo,tenho muita pena dos animais,me coloco muitas vezes no lugar deles,pobrezinhos bjsss amo vcs.
(Por: lucia moreira)

[Por: @ 2011.08.10 - 00:19 | Responder | Imprimir ]


Adorei o artigo,muito bom!
Eu passei e questionar minha forma de alimentação há um certo tempo,mas não recebo apoio de ninguém,e quase sempre não sei justificar ao certo minha opinião a respeito.Parece que é uma grande estupidez escolher esse caminho.As pessoas precisam saber mais sobre o que é correto!
(Por: Bruna Hadassa M. S.Silva)

[Por: @ 2011.05.18 - 19:24 | Responder | Imprimir ]