Herma Caelen Herma Caelen

Os animais precisam imenso de amigos humanos - Entrevista a Herma Caelen

Herma Caelen é ativista há mais de uma década. Entre muitas outras funções foi Secretária Geral Honorária da União Vegetariana Europeia (EVU), foi precursora da lista de discussão eletrónica animal_net e, mais tarde, da European Vegetarian Animal and News Alliance (EVANA). Organizou várias campanhas internacionais e tem sido uma grande apoiante da Semana Vegetariana Internacional desde a sua implementação.

O Centro Vegetariano (CV) e a Rádio Defesa dos Animais (RDA) quiseram saber um pouco mais sobre o trabalho de Herma.

 

CV/RDA: Herma, obrigado por aceitares esta entrevista, apesar de habitualmente preferires ficar nos bastidores. Em primeiro lugar, gostaríamos de saber o que te motiva a ser vegetariana e ativista.

Resposta: Penso que tudo começou na minha tenra infância, quanto assisti à matança de um porco. Aquela cena horrível tem-me perseguido desde então e, eventualmente, conduziu-me ao estilo de vida vegetariano e a debruçar-me sobre o trabalho pelos animais.

 

CV/RDA: Por que decidiste dedicar tanto do teu precioso tempo aos animais e ao estilo de vida vegetariano?

Resposta: Os animais precisam imenso de amigos humanos e apenas quero fazer a minha pequena parte. Com este objetivo em mente, experimentei vários caminhos, tanto com resultados animadores como desanimadores. Todavia, qualquer que tenha sido o resultado, tenho sempre aprendido muito!

 

CV/RDA: Viveste em vários países e estiveste direta ou indiretamente envolvida em várias campanhas. Na tua opinião, quais são os benefícios da cooperação internacional e de que forma se pode tornar mais eficaz?

Resposta: Embora nalguns países o sofrimento dos animais seja mais horrível do que noutros, a crueldade para com seres inocentes e indefesos é um problema internacional que exige atenção global. Infelizmente, por várias razões, raramente é possível construir alianças internacionais abrangentes. Um dos mais inultrapassáveis problemas é a barreira linguística, ou seja, frequentemente os ativistas não sabem o que se passa no resto do mundo e, consequentemente, não podem dar o seu contributo em campanhas promissoras nem utilizar inteligentemente projetos alheios como exemplos para o seu próprio trabalho.

Penso que promover o uso de uma Língua comum, por exemplo, o Inglês, em combinação com uma sólida rede de comunicações além-fronteiras poderia evitar estas comuns e contraproducentes situações de isolamento nacional. Quando colegas meus de várias partes do mundo têm a oportunidade de coordenar, aconselhar, apoiar e passar a palavra, a comunidade inteira tem a possibilidade de ter impacto acrescido nos esforços individuais. A cooperação internacional bem preparada pode trazer grandes benefícios e chamar a atenção de políticos nacionais e regionais.

 

CV/RDA: Tens sido uma acérrima defensora de chamar aos primeiros dias de Outubro (geralmente de 1 a 7), a “Semana Vegetariana Internacional” (IVW). Estás satisfeita com o resultado, até agora?

Resposta: Estou, de facto, impressionada com a rapidez com a qual a IVW se tornou um acontecimento anual atrativo. A campanha efetivamente enraizou-se e floresceu em muitos países, incluindo a Albânia, Argentina, Brasil, Camboja, Canadá, Croácia, França, Alemanha, Índia, Indonésia, Itália, Líbano, Holanda, Nova Zelândia, Portugal, República Checa, Rússia, Singapura, Espanha, Suíça, Turquia, Reino Unido e Estados Unidos da América.

 

CV/RDA: O que pensas acerca do potencial da IVW?

Resposta: É enorme e está a crescer! A adoção global do sistema acrescenta constantemente novas ideias e facetas ao projeto, tornando-o assim mais interessante para vegetarianos, mas também para quem come carne e procura alternativas e informação. Um outro aspeto atrativo da IVW é a possibilidade de partilhar recursos através do uso e adaptação dos mesmos textos, imagens, folhetos e até comunicados de imprensa, etc. relativos à campanha.


CV/RDA: Sabemos que és também escritora. Qual costuma ser o papel dos animais nos teus livros? As tuas personagens fictícias são vegetarianas ou não?

Resposta: Os animais estão sempre “presentes”, quer como co-protagonistas importantes ou até como heróis das minhas histórias. Bem, gosto de pensar que as personagens que invento são vegetarianas, mas nalgumas histórias esta caraterística específica fica omissa.


CV/RDA: Nos teus livros, quem é a tua personagem predileta?

Resposta: Sinceramente, não sei dizer. Tal como na vida real, são todos diferentes e importantes, sendo que alguns são, decididamente, mais simpáticos do que outros, mas se insistes numa resposta, diria que me sinto particularmente ligada ao golfinho Star, um sensato e expedito intermediário entre pessoas e animais.

 

CV/RDA: Após anos a trabalhar para a causa dos direitos dos animais e vegetarianismo, qual é a tua opinião em relação à situação atual? Está a melhorar ou a piorar?

Resposta: Estou convencida que a situação para os animais está em vias de melhorar embora ainda não sejam visíveis mudanças palpáveis. Por isso, mesmo que às vezes nos tornemos impacientes, precisamos de continuar calmamente nos nossos respetivos caminhos sem deixarmos que o desânimo belisque a nossa motivação.

Contudo, o que deve parar são as frequentes e coléricas quezílias entre quem defende os animais. Lamentavelmente, por vezes temos a impressão que atacarmo-nos mutuamente se tornou mais importante do que alertar o público acerca das terríveis consequências da produção e consumo de carne, assim como abordarmos o patronato industrial, políticos nacionais e internacionais, bem como outros decisores e especialistas.

 

CV/RDA: Para terminar, gostarias de deixar uma mensagem para os nossos ouvintes e leitores?

Resposta: Bem, penso mesmo que o poder das pessoas é uma potente arma e que cada indivíduo pode contribuir de forma muito valiosa para um bom futuro vegetariano.

 

CV/RDA: Mais uma vez obrigado, Herma, pelo tempo e por aceitares esta entrevista.

 

Os livros de Herma estão publicados em Alemão, exceto um que foi traduzido para Inglês:Paving the Way for Peace: The Living Philosophies of Bishnois and Jains. Este livro descreve o estilo de vida de duas das mais pacíficas comunidades na Terra em textos elegantes com belas imagens. Está disponível aqui: http://www.lppindia.com/servlet/lppgetbiblio?bno=000407

 



Copyright Centro Vegetariano. Reprodução permitida desde que indicando o endereço: http://www.centrovegetariano.org/Article-594-Os-animais-precisam-imenso-de-amigos-humanos---Entrevista-a-Herma-Caelen.html

Inserido em: 2013.04.06 Última actualização: 2013.04.06

Comentar printer     E-mail   Facebook F

Defesa Animal
Pessoas > Entrevistas