Carta Aberta Visão/SIC

Antes de mais, gostaríamos, em nome do Centro Vegetariano, de felicitar a Visão e a SIC por abordarem um tema como o Vegetarianismo, que certamente interessa a uma vasta fatia da população e tem apresentado um crescimento significativo no nosso país – bem hajam, e esperamos que não seja a última vez.
Em seguimento do que lemos e vimos, como médicos de formação convencional (um Vegetariano, outro omnívoro), gostaríamos de acrescentar:

- A transição entre dois tipos de dietas diferentes deve ser gradual, não feita de um dia para o outro. Com uma transição gradual, eventualmente passando por um período de ovo-lacto-vegetarianismo, o repórter teria certamente adquirido uma outra perspectiva. A transição para o Veganismo, como para qualquer outro tipo de dieta, exige um período de adaptação do organismo e de recolha activa de informação, para uma boa escolha dos alimentos e locais para adquiri-los ou tomar refeições.

- Uma má alimentação é sempre uma má alimentação, independentemente da dieta ser Vegetariana, Omnívora ou outra. Comer em excesso doces ou carne produz sempre maus resultados, independentemente da dieta seguida. Assim, teria sido vantajoso o repórter ter seguido um plano nutricional estabelecido por um profissional da área, pelo menos na fase inicial em que desconhecia o que comer ou onde comer.

- Nao temos dúvidas em afirmar que uma dieta vegetariana racional é saudável e acima de tudo muito mais ética e ecológica que uma dieta omnívora convencional, por muito racional que esta dieta omnívora o seja.

- A vitamina B12 é armazenada no fígado em grandes quantidades, sendo que um súbito défice nutricional ao nível deste nutriente leva a que apenas passados largos meses (ou anos) se verifique uma diminuição significativa deste nutriente nos doseamentos sanguíneos, e não em apenas poucas semanas, tempo de duração da experiência. Tendo em conta, para além disto, que o doseamento de vitamina B12 não é 100% fiável, pode-se inferir que ou o repórter em causa apresentava a priori baixos níveis desta vitamina (por possível regime alimentar inadequado) ou o doseamento de controlo desta não se deverá considerar válido.

- A maior parte dos casos de deficiência de B12 não se deve à baixa ingestão da vitamina, mas sim a deficiências na sua digestão e absorção. Qualquer vegano deve saber que a vitamina B12 é o único nutriente que dificilmente se obtém em quantidade suficiente em alimentos de origem vegetal, pelo que se devem ingerir alimentos enriquecidos com esse nutriente ou um suplemento vitamínico.

- A apresentação dos valores de referência dos parâmetros analisados seria útil ao leitor leigo.

- Parece-nos redutor indicar que se “estimam 30000 vegetarianos” em Portugal, sem tão pouco citar as entidades responsáveis pelo estudo. Na realidade, este número resulta do primeiro estudo sério e credível feito em Portugal, como o repórter foi devidamente informado pelo Centro Vegetariano quando o contactou. O resultado foi obtido num estudo do Centro Vegetariano, realizado em Outubro de 2007 pela empresa Nielsen, líder mundial em estudos de mercado, e consistiu na realização de 2000 entrevistas, a indivíduos entre os 15 e 65 anos residentes em Portugal Continental, que são uma amostra representativa da população Portuguesa.

- As reportagens centram-se nas dificuldades do autor nos supermercados e restaurantes convencionais. É pena que não sejam relatadas com o mesmo ênfase as experiências positivas. Forçar refeições veganas num restaurante convencional, simplesmente eliminando ingredientes, não é certamente a escolha mais perspicaz.

- O "cabaz vegetariano" está longe de ser o cabaz típico de um vegano. Por exemplo, a maioria das marcas bolachas de água e sal no mercado são veganas, não há qualquer justificação lógica para o preço ser diferente em cada cabaz. As fontes proteicas apresentadas também incluíam ingredientes mais caros, como o tofu e seitan, e não soja texturizada ou leguminosas, bem menos dispendiosas do que a carne ou peixe. Ser vegetariano está longe de ser mais caro, basta pensar que a base desta alimentação é fruta, legumes, leguminosas e cereais, alimentos de baixo custo.

- Como todas as transições ou mudanças significativas no estilo de vida ou hábitos alimentares, a transição para o Vegetarianismo requer alguma informação, a qual deve ser obtida a partir de fontes fidedignas e fiáveis. Esta está disponível gratuitamente, designadamente na Internet, salientando-se a nível nacional o CentroVegetariano.org, e a nível internacional sites de referência como o do Physicians Committee for a Responsible Medicine, ou a posição da American Dietetic Association e Dietitians of Canada. Curioso é que, dos contactos que o repórter fez com o Centro Vegetariano, que lhe forneceu uma grande quantidade de informação, contactos e referências, nos parece que terá efectuado um bom trabalho de pesquisa. Infelizmente, esta pesquisa foi totalmente deixada de lado em favor de artigos sensacionalistas e de credibilidade jornalística duvidosa, que em nada dignificam o bom nome que a revista Visão e a SIC têm vindo a consolidar ao longo dos anos.

Assim, e em nome do rigor, da qualidade informativa e do bom jornalismo, que esperamos sejam motes das vossas revista e estação de televisão, sugerimos que colmatem as lacunas, ou pelo menos informem sobre o que por ora apontamos.
Sem mais, subscrevemo-nos com a mais elevada consideração.

Em nome do Centro Vegetariano,

António Paiva, Médico
José Ramos, Médico

Copyright Centro Vegetariano. Reprodução permitida desde que indicando o endereço: http://www.centrovegetariano.org/Article-463-Carta-Aberta-Vis-o-SIC.html

Inserido em: 2008.01.13 Última actualização: 2008.01.21

Comentar printer     E-mail   Facebook F

Notícias > Notícias 2008



Comentários



Qual o objetivo??

Está reportagem me parece errada desde o principio..
Parece que esse rapaz não tem interesse em ser vegetariano e quer testar se é possível ser vegano.
Não mostra os motivos pelas quais uma pessoa adota a dieta vegetariana.
É uma cópia mal feita de SuperSize Me. Neste documentário o pessoal estava realmente indgnado o lucro das grandes empresas de fast-food e com a saúde de quem a come com frequência. Mas qual foi a motivação deste repeorter???

(Por: Janaína Oliveira)

[Por: @ 2008.02.11 - 01:07 | Responder | Imprimir ]


Reportagem SIC/Visão

Tive a oprtunidade ver o debate sobre a reportagem 100% vegetal. Pessoalmente, para mim não trouxe nada de novo, mas penso que para muita gente que ainda desconhece o vegetarianismo/veganismo tenha sido de alguma utilidade. A médica endocrinologista, como já era de esperar, voltou a defender aguerridamente a sua posição de como o vegetarianismo e em particular o veganismo não são boas escolhas de vida, principalmente devido à necessidade de fazer uma suplementação. Eu, como vegan que sou, só faço suplementação de B12 e não acho que seja uma coisa contra natura. A Dr. Isabel do Carmo preferiu usar a vitamina B12 como arma de arremesso contra todo o veganismo, mas esqueceu-se (talvez propositadamente) de referir que todos os alimentos de origem animal têm antibióticos e outos aditivos, muitos deles sintéticos, numa concentração muito superior aos de origem vegetal. Esta Dra. também se esqueceu de dizer que a B12 é produzida por bactérias e não por animais porque, se assim fosse, como é que uma vaca que só come alimentos de origem vegetal consegue ter altos níveis de B12? Quantos aos trangénicos, sempre um assunto polémico, e neste caso mais especificamente a soja genéticamente modificada referida pela Dra. Isabel do Carmo como sendo um alimento nada recomendável, tendo-se esquecido novamente de referir que a maior parte dos animais destinados a consumo são alimentados com OGM´s e que o nível de concentração de substâncias nocivas nos alimentos de origem animal é muito superior ao de origem vegetal. Quero dar os parabéns à Dra. Madalena Muñoz por ter conseguido defender o vegetarianismo/veganismo como sendo um modo de estar na vida eticamente responsável e todos os seus princípios que não foram mencionados pelas outras partes, tais como, direitos dos animais, cultivo intensivo, fome no mundo etc. Para mim, o melhor resultado desta reportagem foi a rápida movimentação dos vegetarianos e vegans em defesa desta nobre causa comum! E mais uma vez, parabéns ao CentroVegetariano pelo excelente trabalho realizado em prol do vegetarianismo!

[Por: elia @ 2008.02.02 - 02:14 | Responder | Imprimir ]


Felicitações

Fiquei satisfeita por ver que não deixaram passar esta abordagem à alimentação vegetariana feita pela sic de uma forma muito errada, sem que se manifestassem. Eu pensei fazer o mesmo mas não me encontro com tempo suficiente para reunir toda a informação que julgava necessária para argumentar contra o que foi dito erradamente em relação à alimentação vegetariana. Tenho uma alimentação ovo-lacto-vegetariana à dois anos sinto-me muito bem e nunca tive tão saudável quanto agora acredito tanto que este tipo de alimentação é o mais correcto e delicioso que apostei em abrir um restaurante so com este tipo de alimentação assim como cursos de culinária tematicos que formem e informem as pessoas em relação a este tipo de alimentação, pelo que me encontro neste momento a tratar de tudo o necessário.
Obrigado por não terem deixado passar em branco a ideia errada que a sic tentou transmitir quanto à dieta vegetariana ser desaconselhavél.

Sem mais assunto de momento despeço-me com os melhores cumprimentos.

Vera Gonçalves
(Por: Vera Gonçalves)

[Por: @ 2008.01.31 - 10:39 | Responder | Imprimir ]


a deixar a carne... aos poucos!!

Concordo plenamente quando dizem que é pouco aconselhável uma mudança tão drástica de regime alimentar. Eu própria já o tentei fazer e por isso mesmo a tentativa em adolescente de me tornar vegetariana falhou. O meu corpo estava demasiado habituado à alimentação omnívora e ao mesmo tempo não me sentia preparada para assumir este regime perante os outros, incluíndo a família e amigos próximos. Agora, mais adulta e mais sensata, ganhei o gosto pela cozinha, pelo que tento confecionar algumas receitas vegetarianas em casa (ainda não encontrei o ponto certo para o arroz integral ou o melhor tempero para a soja, mas estou lá perto!), experimento novos sabores e ingredientes em restaurantes vegetarianos e como muitos mais legumes. O peixe, que é um alimento que adoro continua a fazer parte dos meus hábitos, a ingestão de carne deixo reservada para ocasiões em que sou convidada para um jantar. Os derivados animais consumo com moderação, mas não pretendo eliminá-los (adoro queijo e gelados de iogurte). Por enquanto vou mantendo assim os meus hábitos alimentares. Com o tempo gostava de eliminar definitivamente a carne e só depois o mais difícil, o peixe. Agora deitar a cabeça na almofada e dizer, amanhã vou acordar vegetariano (neste caso vegano!!) é uma loucura. Este tipo de decisão requer força de vontade e uma habituação gradual do paladar. Além disso, penso ser de grande importância conhecer bem os alimentos e saber cozinhá-los e combiná-los. Desde que me apliquei na culinária vegetariana tenho tido muito mais prazer nas minhas refeições e não passo fome!! Aliás sinto--me bem, satisfeita, leve e cheia de energia e não com aquela sensação de estar a "rebentar" e de sonolência. Para todos aqueles que querem tornar-se vegetarianos não percam a calma nem o bom senso, é importante nunca terem a sensação de que estão a fazer um sacrifício, se não se sentirem bem nunca chegarão a bom porto. Pesquisem sobre o assunto, falem com especialistas, experimentem novos alimentos, novas formas de cozinhar, novos temperos. Tentem conhecer o vosso corpo e as suas necessidades e de certeza que tal como eu vão descobrir os prazeres e vantagens de um regime bem mais saudável e colorido.

Cumprimentos,

Ana Campos.
(Por: Ana Campos)

[Por: @ 2008.01.27 - 23:12 | Responder | Imprimir ]


Reportagem SIC

Boa tarde.
Felizmente não vi essa reportagem... Mas nos dias seguintes várias pessoas que conhecem a nossa alimentação me falaram nela... O meu filho tem 6 anos, é ovo-lacto vegetariano e a única vez que tomou um antibiótico foi por inexperiência minha que quando bébé contraiu uma conjuntivite e o levei ao Hospital...
Gostei muito da carta que foi enviada à SIC...
Obrigada
Dalva
(Por: Dalva Silva)

[Por: @ 2008.01.24 - 16:18 | Responder | Imprimir ]


Reportagem 100% Vegetal

Quero agradecer a carta aberta do centro vegetariano sobre esta reportagem. Pois é bom que a verdade possa ser esclarecida. Pois paraceu-me que esta reportagem tinha um propósito definido e que não era de todo informar de forma clara e abrangente sobre as consequências de uma dieta vegetariana.E mais importante ainda o modo correcto de transição de regime alimentar.
Seria bom que estes orgãos de informação dessem a oportunidade de clarificar a verdade e o rigor. Vamos aguardar.
Bem Hajam
(Por: Ana Paiva)

[Por: @ 2008.01.22 - 16:41 | Responder | Imprimir ]


reportagem sic/visão

apesar de nem ter tido conhecimento da entrevista (porque não tenho televisão por considerar que aquilo funciona como lavagem cerebral) é claro que depois de ela ser exibida os "comentários" da família recaíram sobre a minha família devido à nossa alimentação. Eu e o meu marido somos vegan há 4 anos, vegetarianos há bem mais tempo e temos uma filha de 1 ano e 3 meses que nunca tocou um produto animal a não ser o leite da sua mamã. É curioso que as nossas análises estejam sempre óptimas e a nossa força aparente seja acima da média! A minha filha nunca esteve doente! Tem a força de um miúdo de 2 anos tem um desenvolvimento perfeitamente normal e que está constantemente a ser elogiado pelo pediatra que a segue, que por acaso tem doutoramento em nutrição e especialização em obesidade infantil e portanto deve saber do que fala...
Neste momento, a minha filha ainda mama, o que é curioso, pois toda a gente me dizia que sendo eu vegana, não iria ter leite com certeza! :) mais curioso ainda, é eu estar novamente grávida, continuar a dar de mamar, e, apesar de sentir bastante mais fome devido ao dispêndio energético de que estou a ser alvo e que tento colmatar devidamente, as minhas análises não demonstram baixas nem sequer nos níveis de ferro (apesar de ter sido alertada pelos não vegetarianos para os riscos enooormes de anemia que eu estava a correr)!
Acho incrível como os meios de comunicação têm esta capacidade de deturpar a informação em prol de interesses económicos.
Quanto àquilo que eu percebi da entrevista, não passou de uma jogada de marketing patrocinada. Por quem, ainda estou a tentar descorrer...
Na minha família, desde que somos vegetarianos já conseguimos a adesão a 100 % de mais 6 membros. E sem sequer termos feito nada! Provaram algumas (poucas) iguarias e sobretudo aperceberam-se que ao fim de alguns anos da nossa insistência neste tipo de alimentação, continuávamos perfeitamente saudáveis! Inclusívé temos um caso de um familiar que, num ano de alimentação vegetariana conseguiu reduzir os seus valores de colesterol e triglicéridos para valores abaixo dos médios! Não me digam que esta alimentação é desequilibrada! Desequilibrados são os que insistem em não compreender a diferença e em continuar a espalhar mentiras sem rigor nem isenção nenhuma! Há muito que aboli a televisão da minha vida por isso mesmo. E ainda há mais tempo que aboli a SIc e a TVi por considerar que o sensacionalismo é só mais uma forma de toldar o povo e não deixar que as mentes evoluam.

Espero sinceramente que a verdade possa ser reposta!
(Por: Luzia Peixoto)

[Por: @ 2008.01.21 - 10:03 | Responder | Imprimir ]


Anteriores <<