Ser vegetariano: Testemunho de Pedro Morais

Chamo-me Pedro Morais, tenho 22 anos e sou estudante universitário de mestrado em finanças e licenciado em economia pela Faculdade de Economia da Universidade Nova de Lisboa.
Este testemunho tem o intuito de agradecer ao Centro Vegetariano pelo impacto profundo que teve na minha vida. Foi através do website do Centro Vegetariano que tomei conhecimento consciente do Vegetarianismo e Veganismo, sendo que ninguém do meu círculo de amigos é vegetariano e nunca até hoje calhou de eu ir a um restaurante vegetariano.

Mas tudo isso não impediu que me decidisse tornar lacto-Vegetariano precisamente no dia 1 de Janeiro deste ano. Representou para mim o início de uma nova era e muitas boas coisas têm acontecido desde então. É possível que venha a transitar mais tarde para o Veganismo.

Foi a decisão mais óbvia da minha vida. Tão óbvia que quase não me perdoo por nunca ter pensado a fundo nisto antes. Não me imagino a voltar atrás.
Mencionar as razões porque me tornei Vegetariano daria para perfazer um livro e as razões para não o ser uma página em branco.

Em síntese poderia dizer que o Vegetarianismo/Veganismo/Frugivorismo/Crudivorismo representa um estado superior de consciencialização cívica e configuram o respeito maior para com a vida, os animais e o meio ambiente. Revela também todo o poder da vontade e a importância de fazer escolhas.

Resta acrescentar que não sou crente de nenhuma religião, na verdade considero-me ateu. Gostaria de um dia poder contribuir activamente nesta e outras causas, pois acredito que onde quer que o Homem vá buscar forças, só ele poderá contribuir para um futuro melhor e fazer a diferença.


Copyright Centro Vegetariano. Reprodução permitida desde que indicando o endereço: http://www.centrovegetariano.org/Article-482-Ser-vegetariano--Testemunho-de-Pedro-Morais.html

Inserido em: 2008.05.16 Última actualização: 2008.05.16

Comentar printer     E-mail   Facebook F

Pessoas > Testemunhos



Comentários



economicamente falando...

Olá Pedro

Já quase passou um ano desde que deste este testemunho. Não sei se verás isto, nem sei se ainda frequentas a FEUNL, mas se sim então somos colegas (estou a fazer licenciatura em Economia) e de qualquer forma talvez outra pessoa que leia me possa responder.
Com o background de estudos que tens e de um ponto de vista estritamente económico (e sem querer ofender ninguém!), parece ser um 'erro' adoptar a dieta vegetariana - os custos para o consumidor aumentam, a relação custo-benefício nem se compara, ... Repara, os produtos básicos tornam-se mais caros e as poupanças em carne e peixe não compensam os custos acrescidos em produtos mais processados, como o tofu, o seitan, o tempeh, ou a soja.

Posto isto, como explicar a tua decisão racionalmente e com argumentos económicos? Ou não se explica? É o sacríficio por uma consciência mais limpa (uma carteira mais leve)?

Pergunto isto porque motivos morais, éticos, ambientais, etc não faltam. Mas se me colocam esta questão (no fundo a dos custos alimentares do vegetarianismo), não sei que responda.

Se tu ou alguém puder responder, agradeço muito desde já!
Maria
(Por: Maria)

[Por: @ 2009.01.28 - 00:16 | Responder | Imprimir ]

Re: economicamente falando...

A alimentação vegetariana pode de facto ser mais económica. Sugiro que leias http://www.centrovegetariano.org/index.php?article_id=385
(Por: cristina)

[Por: @ 2009.02.08 - 10:55 | Responder | Imprimir ]


Re: economicamente falando...



Olá Maria,


só agora calhei de ver tua mensagem. Vou te dar então meu ponto de vista estritamente económico:-)

A minha opinião pessoal é que de facto a alimentação vegetariana torna-se mais cara porque existe a tendência de consumir produtos de melhor qualidade nutritiva como por exemplo alimentos integrais ou produtos que não estão sujeitos a grande procura pelo que o custo médio de produção destes produtos é elevado. No entanto, posso revelar-te que estive nestes últimos meses a viver na República Checa e agora vivo na Suíça e em ambos não encontras a diversidade de oferta de produtos mais orientados para os vegetarianos/veganos que já existe nas grandes superfícies comerciais em Portugal. Pelo que nesse aspecto Portugal está a evoluir bastante bem.

Também não é justo comparares o preço de mercado da carne com os produtos processados como o tofu ou outros. O que se passa é que existem imensas externalidades negativas que não estão reflectidas no consumo da carne, como seja o metano lançado para a atmosfera, a poluição dos rios e aquíferos, o consumo de água (água essa que é paga a um valor muito inferior ao seu valor intrinseco), gastos com medicamentos e tratamentos de doenças relacionadas com consumo de carne (ex: cancro do cólon) etc,etc. O preço relativo dos bens está desta forma imensamente distorcido. Se fosses a aplicar um imposto de Pigout no valor das externalidades negativas do consumo de carne, o seu preço seria provavelmente tão elevado que a maioria das pessoas não poderia consumir carne.

Em parte a redução do IVA nos produtos vegetarianos ajudou a colmatar uma parte da distorção, mas é uma gota num oceano.

Se pretenderes tornar-te vegetariana, o argumento económico será na minha modesta opinião, o argumento mais controverso que poderás usar. Em jeito de conclusão a alimentação vegetariana se é mais cara, é sobretudo porque o preço da carne está imensamente distorcido, não reflectindo o impacto negativo na sociedade.

Mas quando um bilião de pessoas estão subnutridas (e que por esse motivo e outros nunca terão as mesmas oportunidades que nós) e usamos 40% dos cereais se não estou em erro para alimentar os animais que apenas servem aos nossos caprichos alimentares/tradição, destrói-se a Amazónia para plantar soja para alimentar estes mesmos animais que sofrem dor e têm sentimentos e que são tratados sem o mínimo de respeito, não tens que te preocupar com argumento económico a menos que tenhas mesmo dificuldades económicas...

Vivemos num mundo muito injusto e egoísta, e tudo o que aprendes em economia parte do pressuposto que a tua utilidade (uma medida muito pouco concreta de "felicidade") não depende da utilidade dos outros.

Apenas mais uma curiosidade : se frequentares economia pública com o Prof Corte Real, há-de haver um exercício em que se mostra que se a tua utilidade não depende da utilidade dos outros é exactamente igual à utilidade depender dos outros de forma negativa, isto é, quanto maior é a utilidade dos outros, menor é a tua. Ou seja, a indiferença é igual ao ódio..

Tudo de bom,

Pedro







> Olá Pedro
>
> Já quase passou um ano desde que deste este testemunho. Não sei se verás
> isto, nem sei se ainda frequentas a FEUNL, mas se sim então somos colegas
> (estou a fazer licenciatura em Economia) e de qualquer forma talvez outra
> pessoa que leia me possa responder.
> Com o background de estudos que tens e de um ponto de vista estritamente
> económico (e sem querer ofender ninguém!), parece ser um 'erro' adoptar a
> dieta vegetariana - os custos para o consumidor aumentam, a relação
> custo-benefício nem se compara, ... Repara, os produtos básicos tornam-se
> mais caros e as poupanças em carne e peixe não compensam os custos
> acrescidos em produtos mais processados, como o tofu, o seitan, o tempeh,
> ou a soja.
>
> Posto isto, como explicar a tua decisão racionalmente e com argumentos
> económicos? Ou não se explica? É o sacríficio por uma consciência mais
> limpa (uma carteira mais leve)?
>
> Pergunto isto porque motivos morais, éticos, ambientais, etc não faltam.
> Mas se me colocam esta questão (no fundo a dos custos alimentares do
> vegetarianismo), não sei que responda.
>
> Se tu ou alguém puder responder, agradeço muito desde já!
> Maria
> (Por: Maria)

[Por: pedrito @ 2009.10.29 - 23:55 | Responder | Imprimir ]

Re: economicamente falando...

Essa resposta que Pedro escreveu a Maria é genial por si só, e até mais interessante do que o texto original postado na página. Deveria ser publicado como um texto à parte. É muito interessante mesmo. Parabéns, Pedro.


pedrito escreveu:
>
>
> Olá Maria,
>
>
> só agora calhei de ver tua mensagem. Vou te dar então meu ponto de vista
> estritamente económico:-)
>
> A minha opinião pessoal é que de facto a alimentação vegetariana torna-se
> mais cara porque existe a tendência de consumir produtos de melhor
> qualidade nutritiva como por exemplo alimentos integrais ou produtos que
> não estão sujeitos a grande procura pelo que o custo médio de produção
> destes produtos é elevado. No entanto, posso revelar-te que estive nestes
> últimos meses a viver na República Checa e agora vivo na Suíça e em ambos
> não encontras a diversidade de oferta de produtos mais orientados para os
> vegetarianos/veganos que já existe nas grandes superfícies comerciais em
> Portugal. Pelo que nesse aspecto Portugal está a evoluir bastante bem.
>
> Também não é justo comparares o preço de mercado da carne com os produtos
> processados como o tofu ou outros. O que se passa é que existem imensas
> externalidades negativas que não estão reflectidas no consumo da carne,
> como seja o metano lançado para a atmosfera, a poluição dos rios e
> aquíferos, o consumo de água (água essa que é paga a um valor muito
> inferior ao seu valor intrinseco), gastos com medicamentos e tratamentos de
> doenças relacionadas com consumo de carne (ex: cancro do cólon) etc,etc. O
> preço relativo dos bens está desta forma imensamente distorcido. Se fosses
> a aplicar um imposto de Pigout no valor das externalidades negativas do
> consumo de carne, o seu preço seria provavelmente tão elevado que a maioria
> das pessoas não poderia consumir carne.
>
> Em parte a redução do IVA nos produtos vegetarianos ajudou a colmatar uma
> parte da distorção, mas é uma gota num oceano.
>
> Se pretenderes tornar-te vegetariana, o argumento económico será na minha
> modesta opinião, o argumento mais controverso que poderás usar. Em jeito de
> conclusão a alimentação vegetariana se é mais cara, é sobretudo porque o
> preço da carne está imensamente distorcido, não reflectindo o impacto
> negativo na sociedade.
>
> Mas quando um bilião de pessoas estão subnutridas (e que por esse motivo e
> outros nunca terão as mesmas oportunidades que nós) e usamos 40% dos
> cereais se não estou em erro para alimentar os animais que apenas servem
> aos nossos caprichos alimentares/tradição, destrói-se a Amazónia para
> plantar soja para alimentar estes mesmos animais que sofrem dor e têm
> sentimentos e que são tratados sem o mínimo de respeito, não tens que te
> preocupar com argumento económico a menos que tenhas mesmo dificuldades
> económicas...
>
> Vivemos num mundo muito injusto e egoísta, e tudo o que aprendes em
> economia parte do pressuposto que a tua utilidade (uma medida muito pouco
> concreta de \"felicidade\") não depende da utilidade dos outros.
>
> Apenas mais uma curiosidade : se frequentares economia pública com o Prof
> Corte Real, há-de haver um exercício em que se mostra que se a tua
> utilidade não depende da utilidade dos outros é exactamente igual à
> utilidade depender dos outros de forma negativa, isto é, quanto maior é a
> utilidade dos outros, menor é a tua. Ou seja, a indiferença é igual ao
> ódio..
>
> Tudo de bom,
>
> Pedro
>
>
>
>
>
>
>
> > Olá Pedro
> >
> > Já quase passou um ano desde que deste este testemunho. Não sei se
> verás
> > isto, nem sei se ainda frequentas a FEUNL, mas se sim então somos
> colegas
> > (estou a fazer licenciatura em Economia) e de qualquer forma talvez
> outra
> > pessoa que leia me possa responder.
> > Com o background de estudos que tens e de um ponto de vista
> estritamente
> > económico (e sem querer ofender ninguém!), parece ser um \'erro\' adoptar
> a
> > dieta vegetariana - os custos para o consumidor aumentam, a relação
> > custo-benefício nem se compara, ... Repara, os produtos básicos
> tornam-se
> > mais caros e as poupanças em carne e peixe não compensam os custos
> > acrescidos em produtos mais processados, como o tofu, o seitan, o
> tempeh,
> > ou a soja.
> >
> > Posto isto, como explicar a tua decisão racionalmente e com argumentos
> > económicos? Ou não se explica? É o sacríficio por uma consciência mais
> > limpa (uma carteira mais leve)?
> >
> > Pergunto isto porque motivos morais, éticos, ambientais, etc não
> faltam.
> > Mas se me colocam esta questão (no fundo a dos custos alimentares do
> > vegetarianismo), não sei que responda.
> >
> > Se tu ou alguém puder responder, agradeço muito desde já!
> > Maria
> > (Por: Maria)
>

(Por: fabricio)

[Por: @ 2011.02.23 - 13:19 | Responder | Imprimir ]

Re: economicamente falando...

Maria,

Vi apenas agora a tua pergunta relativamente à questão económica da dieta vegetariana. Deixa-me primeiro que tudo separar duas questões economicamente falando: Prisma individual ou egoísta e o Prisma
a escala global.
O prisma à escala global o Pedro de uma forma simplista já te respondeu e visto duma perspectiva europeia apenas. Se alargarmos o conceito ao veganismo, então nota-se (talvez) ainda mais a complexidade económica subjacente, vide o "dumping" dos lacticínios no terceiro mundo, que novamente volta para a questão hipócrita da pseudo lei económica da escassez vs oferta e procura que é imensamente regulada para proteger os lobbies, esses sim "económicos". O valor intrinseco para a qualidade de vida, complementando com o valor da mão-de-obra directa e indirecta necessária para repor os contra-efeitos do consumo da carne a nível mundial é imensamente mais elevado do que qq consumo vegetariano ou vegano, seja de que perpectiva for e fazendo as contas como quiseres, parece-me óbvio seja duma perspectiva simplista ou complexa, vejamos apenas o quanto consome um quilo de animal em água, cereais, terreno, metano, etc.
A questão individual essa já requer uma mudança de mentalidade quanto aos valores dos alimentos. Eu cresci a pensar que a carne é que puxa carroça, e hoje ainda apanho pessoas que quando digo que sou vegetariano ou vegano não fazem ideia do que eu como ou nao como. E todos os não instruídos na matérias, mesmo alguns que o são, pensam que tenho deficiências alimentares e dizem: ah tu és daqueles que comem aqueles tofus e os satans e essas coisas né? Ora eu raramente (excepto quando estou em casa dos meus pais) como alimentos processados e caramba como eu gasto pouquíssimo dinheiro em comida, no entanto recebo tambem muitos comentários de pessoas de que nao sao vegetarianas porque é muito caro. O leite é mais barato do que as bebidas de soja, arroz, aveia, etc apenas no supermercado e isso é porque os meus impostos servem para comparticipar a sua produção, senão não era. A bebida de amendoa e de aveia que eu faço em casa fica-me muito mais barata. Enquanto os meus amigos comem bifanas eu como beringela, e para mim fica mais barato. Arroz com feijão é uma excelente refeição e muito mais barata. Mas também aqui a questão do valor intrínseco se põe, pois são os meus impostos que andam a pagar os tratamentos dos cancros e outras enfermidades que derivaram de uma má nutrição. Mesmo com os preços assim como são com todos estes lobbies seja à escala global ou à escala individual, à falta de dinheiro a escolha lógica duma perpectiva puramente financeira é a dieta vegana.
(Por: Vitor Hugo)

[Por: @ 2011.02.24 - 03:26 | Responder | Imprimir ]

Re: economicamente falando...

em Abril vai haver um webinário que provavelmente te vai interessar: https://earthscanevents.webex.com/mw0306lc/mywebex/default.do?nomenu=true&siteurl=earthscanevents&service=6&main_url=https%3A%2F%2Fearthscanevents.webex.com%2Fec0605lc%2Feventcenter%2Fevent%2FeventAction.do%3FtheAction%3Ddetail%26confViewID%3D646136505%26siteurl%3Dearthscanevents%26%26%26

> Maria,
>
> Vi apenas agora a tua pergunta relativamente à questão económica da dieta
> vegetariana. Deixa-me primeiro que tudo separar duas questões
> economicamente falando: Prisma individual ou egoísta e o Prisma
> a escala global.
> O prisma à escala global o Pedro de uma forma simplista já te respondeu e
> visto duma perspectiva europeia apenas. Se alargarmos o conceito ao
> veganismo, então nota-se (talvez) ainda mais a complexidade económica
> subjacente, vide o "dumping" dos lacticínios no terceiro mundo, que
> novamente volta para a questão hipócrita da pseudo lei económica da
> escassez vs oferta e procura que é imensamente regulada para proteger os
> lobbies, esses sim "económicos". O valor intrinseco para a qualidade de
> vida, complementando com o valor da mão-de-obra directa e indirecta
> necessária para repor os contra-efeitos do consumo da carne a nível mundial
> é imensamente mais elevado do que qq consumo vegetariano ou vegano, seja de
> que perpectiva for e fazendo as contas como quiseres, parece-me óbvio seja
> duma perspectiva simplista ou complexa, vejamos apenas o quanto consome um
> quilo de animal em água, cereais, terreno, metano, etc.
> A questão individual essa já requer uma mudança de mentalidade quanto aos
> valores dos alimentos. Eu cresci a pensar que a carne é que puxa carroça, e
> hoje ainda apanho pessoas que quando digo que sou vegetariano ou vegano não
> fazem ideia do que eu como ou nao como. E todos os não instruídos na
> matérias, mesmo alguns que o são, pensam que tenho deficiências alimentares
> e dizem: ah tu és daqueles que comem aqueles tofus e os satans e essas
> coisas né? Ora eu raramente (excepto quando estou em casa dos meus pais)
> como alimentos processados e caramba como eu gasto pouquíssimo dinheiro em
> comida, no entanto recebo tambem muitos comentários de pessoas de que nao
> sao vegetarianas porque é muito caro. O leite é mais barato do que as
> bebidas de soja, arroz, aveia, etc apenas no supermercado e isso é porque
> os meus impostos servem para comparticipar a sua produção, senão não era. A
> bebida de amendoa e de aveia que eu faço em casa fica-me muito mais barata.
> Enquanto os meus amigos comem bifanas eu como beringela, e para mim fica
> mais barato. Arroz com feijão é uma excelente refeição e muito mais barata.
> Mas também aqui a questão do valor intrínseco se põe, pois são os meus
> impostos que andam a pagar os tratamentos dos cancros e outras enfermidades
> que derivaram de uma má nutrição. Mesmo com os preços assim como são com
> todos estes lobbies seja à escala global ou à escala individual, à falta de
> dinheiro a escolha lógica duma perpectiva puramente financeira é a dieta
> vegana.
> (Por: Vitor Hugo)

(Por: Vitor Hugo)

[Por: @ 2011.02.25 - 05:01 | Responder | Imprimir ]






Olá Pedro! Os meus siceros parabéns pela tua decisão, que te posso dizer que nunca virás a arrepender-te dela; pois o homem que toma consciência do quão belo é a vida, jamais dará um passo atrás!
Eu tb sou lacto vegetariana, e deixei o peixe precisamente no dia 1 de janeiro deste ano! Foi a melhor coisa que fiz por mim e por todos os seres que amo!

Força! Continua assim :)
(Por: Adriana)

[Por: @ 2008.06.25 - 17:19 | Responder | Imprimir ]


Restaurente Vegetariano

Oi Pedro!!
Eu posso levar-te ao Oriente que para mim é o melhor restaurante do país...isto é se quiseres!
Estou a precisar de conhecer pessoas novas vegetarianas! Eh eh e também estou a tirar mestrado na Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa!
(Por: Anabela Borges)

[Por: @ 2008.05.19 - 10:58 | Responder | Imprimir ]

Restaurente Vegetariano

Lol Olá! Confesso que achei muita piada ao teu convite, admiro a atitude e ousadia:-) Contudo, jantar com uma pessoa que nunca vi assim sem mais nem menos não é muito indicado. Mas como gosto por princípio dar sempre uma oportunidade às pessoas que me querem conhecer, deixo-te e-mail para entrares em contacto comigo e talvez consigas me dar a volta... isto é se quiseres! :-D - pedrofilipemorais@hotmail.com

> Oi Pedro!!
> Eu posso levar-te ao Oriente que para mim é o melhor restaurante do
> país...isto é se quiseres!
> Estou a precisar de conhecer pessoas novas vegetarianas! Eh eh e também
> estou a tirar mestrado na Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa!
> (Por: Anabela Borges)

(Por: Pedro )

[Por: @ 2008.05.21 - 12:52 | Responder | Imprimir ]



Decisões

Pedro, parabéns pela msg. Nunca fui tão carnívora, já passei bastante tempo s/ comer carne alguma mas simplesmente por não ter vontade. Estou ovo-lacto-vegetariana há menos de 2 meses e tem sido muito bom. Continuemos ...
(Por: Eliane)

[Por: @ 2008.05.18 - 04:00 | Responder | Imprimir ]


Veganismo

Parabéns, Pedro! Eu sou vegana há 8 anos que foram precedidos de uma alimentação ovo-lacto-vegetariana. Uma vez que o que moveu esta minha decisão foram aspectos éticos, decidi por algo mais coerente e acabei por me tornar vegana. Não concebo mais a vida de outra forma. A minha saúde está impecável, a minha energia e, sobretudo, a minha consciência.
Um abraço.
Isabel M.
(Por: Isabel Maia)

[Por: @ 2008.05.17 - 15:32 | Responder | Imprimir ]

Re: Veganismo

Obrigado pelo teu comentário. Gostei muito da tua última frase. Também a minha consciência já não permitia que não me tornasse vegetariano. Felicidades.

[Por: pedrito @ 2008.05.21 - 23:30 | Responder | Imprimir ]