Alimentação Vegetariana: sinónimo de poupança

Contrariamente à ideia generalizada de que os produtos vegetarianos são mais caros e difíceis de encontrar, a verdade é que não é preciso gastar muito dinheiro para seguir uma alimentação vegetariana saudável e equilibrada.



Como o próprio nome indica, vegetarianismo = vegetais, a base essencial de uma alimentação vegetariana são os legumes, as frutas e os cereais, ou seja, tipos de alimentos que são encontrados facilmente em supermercados, mercearias ou feiras, e cujos preços nunca representam um grande peso no orçamento familiar. Actualmente, existem cada vez mais feiras de agricultura biológica, onde podem ser encontrados diversos alimentos como produtos hortícolas, fruta, plantas aromáticas e medicinais, frutos secos, compotas de fruta e legumes, vinho e azeite. Se optares por comprar alguns produtos (feijão de soja, farinha, arroz integral) a granel em cooperativas ou mesmo encomendando em lojas de produtos naturais, também consegues economizar vários euros (para além de evitares tantas embalagens).
Outros alimentos, como leite, iogurtes, natas e manteigas de origem vegetal, são realmente mais caros, mas por terem cada vez mais adeptos o seu preço tende a baixar muito rapidamente. Um bom investimento para o caso de alguns destes tipos de alimentos é uma máquina de leite de soja ou até uma iogurteira , permitindo poupar alguns euros no final do mês. O leite de soja e os iogurtes feitos em casa ficam realmente mais baratos do que os lacticínios de origem animal. Existem igualmente formas práticas e simples que permitem fazer tofu e seitan caseiros a baixo preço.

Outro tipo de alimentos que implica soltar um pouco mais os cordões à bolsa é a comida pré-confeccionada, como é o caso dos hambúrgueres, salsichas, lasanhas, etc. No entanto, estes alimentos não são consumidos todos os dias e pode sempre aproveitar-se um dia menos ocupado, como um sábado por exemplo, para fazer uma certa quantidade de hambúrgueres, rissóis de soja, croquetes de lentilhas, etc., e congelá-los para os utilizar posteriormente durante os dias da semana. Apenas não devemos esquecer que os alimentos pré-confeccionados comprados não devem ser consumidos numa base diária, devido ao seu elevado teor de conservantes e açúcares.
Também uma embalagem de 500g de soja fica a um preço muito baixo quando comparada com um pedaço de carne com o mesmo peso.

Um outro sinónimo de poupança está relacionado com a conservação e preparação dos alimentos. Na cozinha vegetariana, os alimentos são aproveitados quase na sua totalidade (não há espinhas, ossos, gordura), e até mesmo os talos de couves, de brócolos e de outros vegetais podem ser cozinhados. Os alimentos conservam-se igualmente durante mais tempo. Por exemplo, um pedaço de carne não se conserva tanto tempo no frigorífico como um pedaço de seitan.
A água, energia e detergente também são poupados, uma vez que não são necessários tantos recursos para lavar um prato no qual foram servidos legumes, como os utilizados para lavar um prato sujo com gordura animal. Até o próprio tempo de confecção dos alimentos de origem vegetal é consideravelmente menor quando comparado com o tempo gasto a cozinhar um pedaço de carne ou peixe.
Geralmente um vegetariano também não precisa comprar uma arca congeladora, basta-lhe um pequeno congelador inserido no frigorífico, pois muito espaço de congelação é, por norma, usado para carne e peixe.

Os restaurantes vegetarianos representam sempre uma alternativa a quem não dispõe de tempo para cozinhar. O seu número está a aumentar cada vez mais e muitos deles já oferecem o serviço de comida para fora, permitindo uma maior flexibilidade a todos os que precisam de mais tempo para outros aspectos da sua vida quotidiana e que, ao mesmo tempo, desejam manter uma alimentação saudável. E, por norma, comer nestes restaurantes até fica mais económico do que noutro tipo de restaurantes que servem pratos omnívoros.

Uma lista sobre o que não deve faltar na despensa pode sempre ajudar na altura de saber que tipos de alimentos devem ser comprados para seguir uma alimentação vegetariana. O que interessa é explorar, informar-se, comparar preços e conhecer e experimentar novos alimentos.
Não existem quaisquer obstáculos, idade ou até segredos para se adoptar uma alimentação vegetariana. O que devemos tentar fazer é manter uma alimentação saudável e o mais variada possível, evitando sempre alimentos ricos em gordura, sal e açúcar.



Copyright Centro Vegetariano. Reprodução permitida desde que indicando o endereço: http://www.centrovegetariano.org/index.php?article_id=385

Inserido em: 2006.04.08 Última actualização: 2010.10.17

Comentar printer     E-mail   Facebook F

Consumidor Vegetariano > Truques e Dicas
Pessoas > Artigos por Autor > Rosa Sousa
Aos iniciados... > Razões para ser vegetariano